Tecnologia

Apple planeja fechar Beats Music, diz site

Os engenheiros do serviço já teriam sido realocados em outras vagas dentro da empresa e a marca seria extinta, mas ainda não há uma data definida


	Beats: é improvável que Apple abandone marca do iTunes em prol da Beats Music, diz site
 (Lucas Jackson/Reuters)

Beats: é improvável que Apple abandone marca do iTunes em prol da Beats Music, diz site (Lucas Jackson/Reuters)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 22 de setembro de 2014 às 21h48.

São Paulo - A Apple planeja fechar o serviço de streaming de músicas Beats Music, de acordo com reportagem do TechCrunch.

Os engenheiros do serviço já teriam sido realocados em outras vagas dentro da empresa e a marca seria extinta, mas ainda não há uma data definida.

As informações vêm de fontes anônimas com conhecimento sobre os planos da companhia.

Outra evidência seria o fato de que o CEO do Beats Music, Ian Rogers, também assumiu o comando do iTunes Radio, dividindo seu tempo entre os dois serviços.

No final de julho, o site Recode publicou uma reportagem informando sobre a intenção da Apple de demitir cerca de 200 funcionários da Beats assim que a aquisição da empresa de concretizar.

O portfólio de dados e de clientes do iTunes Radio tem um tamanho considerável: 800 milhões cadastros e números de cartões de crédito de 400 milhões de internautas.

Graças a ofertas de testes gratuitos do Beats Music em parceria com a operadora de telefonia móvel americana AT&T, 5 milhões de internautas se cadastraram, mas apenas 250 mil tornaram-se assinantes do serviço de streaming.

Em comparação com os robustos números de 40 milhões de cadastros e 10 milhões de assinaturas do Spotify, o Beats Music é relativamente pequeno.

A empresa também concorre com o Pandora, que tem 76,4 milhões de ouvintes ativos e com o Google Play Music, que está presente em 45 países com catálogo de 25 milhões de músicas — e que chegou ao Brasil nesta semana.

Como bem aponta o TechCrunch, ter a Beats como uma marca adicional para acessórios de música faz sentido, ao contrário de ter dois serviços de streaming.

Sendo assim, é improvável que a Apple abandone a marca do iTunes em prol da Beats Music, uma vez que a empresa passou os últimos 13 anos construindo o nome de sua loja virtual de músicas, enquanto a Beats tem oito anos de existência.

Como de praxe, a Apple não comenta rumores oficialmente.

Vale notar que metade dos brasileiros sequer conhece aplicativos de streaming de música pelo smartphone, conforme pesquisa realizada pela Opinion Box em parceria com a Teletime.

Acompanhe tudo sobre:AppleArteBeatsEmpresasEmpresas americanasempresas-de-tecnologiaEntretenimentoIndústria da músicaINFOInternetMúsicaServiços onlineTecnologia da informação

Mais de Tecnologia

Elon Musk confirma terceiro filho com funcionária da Neuralink Shivon Zilis

Na era do vício digital, a abstinência e a liberdade de 24 horas sem WhatsApp

Agora todos poderão ver o que você comenta em um story do Instagram; saiba como

Boeing Starliner tem retorno à Terra adiado pela segunda vez

Mais na Exame