Tecnologia

74% veem vídeos relacionados à profissão

Estudo feito pela IDC América Latina analisou o comportamento de compra dos usuários de TI na América Latina e suas preferências online

A empresa perguntou a cada um dos participantes se eles acessam vídeos de tecnologia na internet relacionados à sua profissão (Getty Images)

A empresa perguntou a cada um dos participantes se eles acessam vídeos de tecnologia na internet relacionados à sua profissão (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 28 de novembro de 2011 às 10h00.

São Paulo - Uma pesquisa divulgada recentemente mostra que 74,7% dos profissionais de TI latino-americanos assistem a vídeos online relacionados com sua profissão.

O estudo feito pela IDC América Latina, empresa de inteligência de mercado, analisou o comportamento de compra dos usuários de TI na América Latina e suas preferências online. Segundo Luciana Sario, gerente de marketing da IDC América Latina, os resultados mostram que o mundo pode se beneficiar de vídeos online para business to business (B2B).

A empresa perguntou a cada um dos participantes se eles acessam vídeos de tecnologia na internet relacionados à sua profissão: 74,7% responderam que sim, um resultado 4,7% maior comparado aos números do ano passado, quando aproximadamente 70% afirmaram o mesmo.

Ainda de acordo com a pesquisa, a Venezuela lidera a lista de países em que os entrevistados afirmaram assistir vídeos online relacionados à sua área de atuação: 80% dos respondentes confirmaram ter esse hábito.

Brasil, Colômbia e México são os próximos do ranking, respectivamente com mais de 76%, 77% e 74% dos consultados que disseram fazer o mesmo. Nas últimas posições, estão o Chile (72%) e a Argentina (67%). Embora os percentuais variem entre os países, prevalece em todos eles que a maioria dos pesquisados afirmou ter esse comportamento.


Para Luciana, existem vários benefícios para que o vídeo online aproxime os usuários do mundo B2B, em particular produtos e serviços de TI, uma vez que esses são mais complexos do que outros e requerem mais explicações.

"Em vez de o usuário precisar ler várias páginas de texto para obter a mensagem sobre um produto, o vídeo fornece informações e explica de forma rápida e clara o assunto em questão", diz Luciana.

Além disso, os recentes estudos têm mostrado que os profissionais da área de TI reenviam estes vídeos aos colegas com a finalidade de compartilhar a mensagem, o que ajuda a aumentar a vitalidade da informação de forma significativa.

"Fazer e distribuir um bom vídeo B2B online leva tempo, mas eles são uma excelente ferramenta para alcançar e conquistar novos clientes. Não é um processo rápido, resolvido com a edição de filmagens e posterior publicação nas redes sociais.

Há vários pontos a considerar que vão desde um plano de produção bom, um roteiro excelente, um bom orador, animações multimídia e mensuração posterior, entre outros", diz Luciana. Veja a tabela abaixo:

  Sim
Não
Venazuela 80,88% 19,12%
Colombia 77,78% 22,22%
Brasil 76,71% 23,29%
México 74,44% 25,56%
Chile 72,06% 27,94%
Argentino 67,09% 32,91%
Acompanhe tudo sobre:Empresas de internetempresas-de-tecnologiaGoogleVídeosYouTube

Mais de Tecnologia

Apagão cibernético afetou 8,5 milhões de computadores da Microsoft

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

Mais na Exame