Acompanhe:

São Paulo tem maior média diária de internações pela covid-19 desde setembro

A média diária de internações subiu 10,8% em menos de duas semanas, passando para 1.476 na atual semana epidemiológica que se encerra neste sábado, 9

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Getty Images/Getty Images)

(Getty Images/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de janeiro de 2021 às, 10h40.

Assim como casos e óbitos, São Paulo também tem registrado aumento na demanda por leitos hospitalares diante do avanço da covid-19. A média diária de internações subiu 10,8% em menos de duas semanas, passando de 1.364, na penúltima semana de dezembro para 1.476 na atual semana epidemiológica (que se encerra no sábado, 9). A média é a mais alta registrada desde o início de setembro. Com aglomerações e sem começar a vacinação, o Brasil ultrapassou a marca de 200 mil óbitos esta semana.

Em coletiva nesta sexta-feira, 8, o secretário estadual da Saúde Jean Gorinchteyn, destacou que o número é preocupante por mostrar um aumento real, pois a média de internações não depende de resultados de testes, que podem sofrer atrasos. "Lembrando que esse é um dado atual, e, com isso, não é algo que eventualmente tivesse ficado represado", explicou.

No caso exclusivo de leitos de UTI, as regiões com a situação mais grave são as de Marília (com 75,8%), de Presidente Prudente (com 74,5%) e de Sorocaba (com 74,1%). A média estadual é de 63 3%, um pouco abaixo da registrada na Grande São Paulo, que é de 65,5%. O Estado tem uma média de 17,8 leitos para covid-19 a cada 100 mil habitantes.

Já dados da Prefeitura de São Paulo apontam taxa de ocupação de UTI de 61% em hospitais municipais e de 91% em hospitais contratualizados (leitos contratados em instituições privadas), totalizando 612 internados em UTI. O total de internações por covid-19 na rede municipal da capital é de 1.140, incluindo enfermaria.

A demanda também se repete na rede privada. No Hospital Sírio-Libanês, havia 153 casos de covid-19, sendo 44 de pacientes na UTI, na quinta-feira, 7. Na segunda-feira, 4, esse balanço era de 137 pacientes, dos quais 46 em unidade de terapia intensiva.

Já no Beneficiência Portuguesa, por exemplo, há uma ocupação de 74% nos leitos de UTI para pacientes com confirmação ou suspeita de covid-19 (37 pacientes). Outros 69 casos relacionados à doença estão em enfermaria na instituição, que tem um total de 938 leitos, dos quais cerca de 110 são para covid-19. "A instituição mantém estreita vigilância sobre a evolução epidemiológica dessa doença, acompanhando diariamente os indicadores de ocupação e, quando necessário, promove ajustes no número de leitos direcionados para os casos de covid-19", explica em nota.

De acordo com médicos ouvidos pelo Estadão esta semana, houve aumento de "surtos familiares", quando dois ou mais da mesma família se infectam, o que pode ser reflexo de encontros de Natal. Profissionais de saúde acreditam que nas próximas semanas deve haver uma elevação significativa de pacientes, como consequência das aglomerações e viagens do réveillon.

Últimas Notícias

Ver mais
Zema reitera no STF que não vai exigir vacinação completa de estudantes na rede estadual
Brasil

Zema reitera no STF que não vai exigir vacinação completa de estudantes na rede estadual

Há uma semana

Qual a diferença entre dengue e covid-19? Veja os sintomas
Brasil

Qual a diferença entre dengue e covid-19? Veja os sintomas

Há uma semana

MG e SC contrariam Ministério da Saúde e não exigem carteira de vacinação para matrícula escolar
Brasil

MG e SC contrariam Ministério da Saúde e não exigem carteira de vacinação para matrícula escolar

Há 3 semanas

Casos agudos de covid-19 aumentam no Norte e Nordeste
Brasil

Casos agudos de covid-19 aumentam no Norte e Nordeste

Há 3 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais