Revista Exame
Acompanhe:

Com sol, dunas e muito vento, praia no Ceará é o destino da vez para férias

Com boas opções de serviço, o vilarejo de pescadores Icaraí de Amontada é a praia da vez no Ceará

Praia de Icaraí de Amontada, no Ceará: vila tranquila de pescadores, com comércio local e ótimas opções de gastronomia e hospedagem (elzauer/Getty Images)

Praia de Icaraí de Amontada, no Ceará: vila tranquila de pescadores, com comércio local e ótimas opções de gastronomia e hospedagem (elzauer/Getty Images)

I
Ivan Padilla

16 de dezembro de 2022, 18h04

Não espere do Ceará a água cristalina das praias de Alagoas, de Fernando de Noronha ou de outras partes da costa do Nordeste. O tom verde-claro, apesar de bonito, não é o ponto forte dos 570 quilômetros de litoral do estado. O atrativo aqui é outro: o vento constante. As torres de energia eólica, as pranchas de kitesurfe e as dunas em movimento fazem parte desse cenário que soa clichê de tão particular. As fortes correntes de ar são excelentes para a prática de esportes de vela e ajudam a aliviar a temperatura média de 30 graus durante o verão.

A praia cearense para ficar de olho nesta temporada tem um nome difícil para quem ouve pela primeira vez. Icaraí de Amontada, ou Icaraizinho para os íntimos, fica a 200 quilômetros do aeroporto de Fortaleza e a 150 quilômetros de Jericoacoara, na chamada Rota do Sol Poente. Amontada é o município, Icaraizinho é o tranquilo vilarejo de pescadores. O ideal por lá é se locomover em um 4x4 alugado. Também é possível ir de ônibus a partir de Fortaleza e alugar um serviço de bugue por lá.

Uma coisa é certa: assim como as dunas, você vai querer se mover. Há muita coisa para ver em Icaraí. Do lado leste ficam os Lençóis Cearenses, uma extensão dos Lençóis Maranhenses, com lindas piscinas naturais, principalmente após as chuvas que vão de março a maio. O pôr do sol das dunas será um dos mais bonitos que você já terá visto. Na Praia das Moitas começa o Rio Aracatiaçu, que margeia os mangues e passa pelo chamado túnel do amor, formado por uma densa vegetação. Um passeio em lancha custa 200 reais para um casal e termina na Ilha das Ostras, com quiosques pé na areia onde comem-se vastas porções de mariscos por 80 reais.

Entre julho e dezembro é quando sopram os ventos mais fortes e acontece a alta temporada de kitesurfe. Muitas escolas por lá, como a Casa Janjão e a Cabana do Kite, alugam equipamentos. Se você é iniciante, saiba que 1 hora de aula custa entre 100 e 130 reais. Mas não se empolgue: dificilmente alguém consegue andar com certa destreza com menos de 10 horas de prática. Prepare-se para gastar seu francês. Estrangeiros abundam entre os adeptos do esporte e pelo povoado de ruas de terra ou paralelepípedo, pequenas lojas de comércio local e bons restaurantes.

Rooftop do hotel Makena

Rooftop do hotel Makena: piscina e restaurante (Felipe Petrovski/Divulgação)

Casas de alto padrão são boas opções para alugar. Entre os hotéis, o destaque fica por conta do Makena, hospedagem butique de traços minimalistas com apenas 13 quartos, de metragens generosas com jardins e, em algumas unidades, adegas e piscinas privativas. As diárias por lá partem de 1.490 reais. No belo rooftop, em frente à piscina, fica o restaurante Nui. A chef Jeanine Gurgel leva em conta a sazonalidade dos alimentos, priorizando ingredientes frescos locais. Destaque para a parrilhada de frutos do mar com arroz de castanha e legumes na brasa. Para comer sem pressa, ao sabor do vento.


O quadrado mágico de Paraty

A cidade colonial da Costa Verde, entre São Paulo e Rio de Janeiro, ganha novos bares e restaurantes

Paraty é ponto de referência na belíssima Costa Verde, entre São Paulo e Rio de Janeiro, com condomínios de luxo, como Laranjeiras, e praias isoladas, como Saco do Mamanguá, Ponta Negra e Pouso da Cajaíba. A cidade colonial, que se consolidou no circuito intelectual com sua bem-sucedida feira literária, ganha novos serviços. No centro histórico, com calçamento de paralelepípedo, o chamado Quadrado Mágico abriga o Sandi Hotel (antiga Pousada do Sandi, primeira hospedaria de alto padrão da região), que foi totalmente reformado e conta agora com 26 suítes. Na esquina fica a Casa Bromélias, com cinco suítes e paisagismo de Gilberto Elkis, que funciona como casa para aluguel, hotel e galeria e loja de litogravuras da fauna e da flora do Brasil e da Mata Atlântica. Em volta estão ainda o restaurante Pupu's, focado em plantas alimentícias não-convencionais, a gelateria Miracolo, com ótimo sorvete artesanal, e o bar Apothekario, do conceituado bartender Alê D’Agostino.

LEIA TAMBÉM: Startup do Ceará quer triplicar base de clientes e faturar R$ 17 milhões em 2022