Cartas & E-mails | Imediatismo e ganância no desastre de Brumadinho

Confira cartas e e-mails que chegaram à redação de EXAME sobre a edição 1181 da revista, que traz a reportagem "Os sete pecados da Vale" em destaque
 (Mauro Pimentel/AFP)
(Mauro Pimentel/AFP)
R
Redação Exame

Publicado em 28/03/2019 às 05:18.

Última atualização em 25/07/2019 às 16:25.

Os sete pecados da Vale

O maior pecado capital da Vale é, sem dúvida nenhuma, ter um conselho de administração formado predominantemente por profissionais do setor financeiro (Os sete pecados da Vale, 20 de março). Esse grupo, além de não ter experiência com indústrias e com o setor de mineração, tende a ser imediatista e ganancioso. A Vale, sua comunidade (quadro de empregados, fornecedores, acionistas minoritários, vizinhança etc.) e o meio ambiente certamente não merecem isso.

David Aguiar de Castro
Salvador, BA


Gostaria de dizer que achei muito lúcida, importante e interessante a reportagem de capa, Os sete pecados da Vale

José Eduardo de Oliveira
Patos de Minas, MG


Agronegócio

Em relação à reportagem que trata dos subsídios concedidos ao setor agrícola, acredito que a produção de alimentos seja a única área que precisa, sim, ser subsidiada (A agricultura precisa de ajuda?, 20 de março). Porque a maior parte da produção vem de cooperativas de pequenos agricultores.

Diego Vilela
Via Facebook


Na minha opinião, a agricultura não precisa de ajuda, como questiona a reportagem de EXAME. Não podemos sustentar essa galinha que vive rolando e pedindo perdão das dívidas, pedindo redução de impostos e juros subsidiados.

Agenor Martins Neto
Via Facebook


Indústria

As armas da Taurus são ruins, seus preços estratosféricos. E há um gigantesco lobby da empresa para impedir a entrada da concorrência estrangeira no país (Pronta para atirar, 20 de março). A fabricante é uma típica empresa brasileira.

Vagner Castro
Via Facebook


O exemplo da Taurus, retratado na reportagem de EXAME, mostra que o Brasil é a terra prometida para a indústria de armas, que emana riqueza.

Douglas Gonçalves
Via Facebook


Riscos

É muito triste ver que as empresas brasileiras não estão levando a sério seus programas de compliance e de gestão de riscos. Parece que não aprendemos nada com o passado recente (Só no organograma, 20 de março). Existe uma visão míope, focada apenas em custos.

Diogo Ito
Via Facebook


Entrevista

A soberba de muitos empresários faz com que eles só procurem os serviços de um administrador profissional quando a empresa já está em rota de falência, como mostra a entrevista de Claudio Galeazzi, especialista em reestruturação de negócios (Quando o fim é inevitável, 20 de março). Aí, culpam o consultor por não ter conseguido salvar suas companhias.

Anderson Campos
Via Facebook


Estados Unidos

Vivo nos Estados Unidos e acredito que  Donald Trump é o melhor presidente desde Ronald Reagan (Trump na defensiva, 20 de março). O país está gerando milhões de empregos e os salários cresceram. Temos a menor taxa de desemprego entre negros e latinos da história.

Eduardo Aguiar Soares
Via Facebook


J.R. Guzzo

O colunista J.R. Guzzo tem razão. De crise em crise, de calamidade em calamidade, vai vivendo o Brasil. A cada dia perdemos a esperança de vê-lo saindo da inércia (Calamidade permanente, 6 de março). O governo Bolsonaro instalou uma fábrica de crises particular, de modo que não vislumbramos a tão esperada luz no fim do túnel.

Alberto  Bezerril
Via Facebook

Veja Também

Inovar para crescer
Revista Exame
Há uma semana • 3 min de leitura

Inovar para crescer

Petrobras, JBS e Vale: veja o ranking completo da Melhores e Maiores 2022
Revista Exame
Há uma semana • 16 min de leitura

Petrobras, JBS e Vale: veja o ranking completo da Melhores e Maiores 2022