Caixa e Sebrae anunciam R$ 7,5 bi em crédito para pequenas empresas

A parceria visa ampliar o acesso de MEIs e micro e pequenas empresas brasileiras a crédito durante a crise causada pelo novo coronavírus

A Caixa Econômica Federal e o Sebrae anunciam nesta segunda-feira 20 uma parceria para facilitar o acesso a crédito para microempreendedores individuais (MEIs) e micro e pequenas empresas. A parceria visa reduzir o impacto provocado pela crise do coronavírus sobre os pequenos negócios no Brasil.

Com as linhas de crédito disponibilizadas pela Caixa e as garantias complementares concedidas pelo Sebrae por meio do Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), a expectativa é injetar 7,5 bilhões de reais em linhas de crédito, cerca de 1% da carteira de crédito do banco. A utilização do Fampe permite que as ofertas de crédito tenham taxas competitivas, até 40% menores que as praticadas hoje pela instituição financeira. 

As empresas e MEIs interessados no crédito podem manifestar interesse no portal Caixa com a sua empresa. O banco irá fazer a avaliação de crédito e apresentar uma proposta, com taxas de juros e prazo de carência específicos para cada solicitante. Podem solicitar o empréstimo empresas adimplentes com faturamento anual de até 4,9 milhões de reais, que tenham mais de 12 meses com receita. 

De acordo Pedro Guimarães, presidente da Caixa, a parceria tem como objetivo apoiar um dos setores que mais sofre com a pandemia. “O banco disponibilizará melhores condições de taxas, prazo e carência, de forma a atender a demanda por crédito desse setor tão importante para a economia”, afirma o presidente em nota.

O fundo do Sebrae viabiliza garantias para que as micro e pequenas empresas possam cumprir as exigências dos bancos para concessão de crédito. Antes da crise causada pelo novo coronavírus, o fundo tinha aproximadamente 470 milhões de reais em recursos disponíveis. No começo de abril, o Sebrae anunciou que iria destinar 50% de sua arrecadação nos próximos meses para o Fampe, o que adicionou mais 500 milhões de reais ao fundo.

A expectativa inicial do Sebrae era que o Fampe alavancasse 12 bilhões de reais em crédito. Em transmissão ao vivo, Pedro Guimarães disse que neste momento a análise do banco só permitiu 7,5 bilhões. “As operações só serão realizadas se for para a Caixa ganhar dinheiro, nós não fazemos operação de subsídio para ninguém”, afirmou o presidente do banco.

O Sebrae irá acompanhar os donos de pequenos negócios nas negociações com os bancos, dando assistência para mitigar o risco da operação de crédito. “O Fampe funciona como um salvo-conduto, que vai permitir aos pequenos negócios, incluindo até o microempreendedor individual, obterem os recursos para capital de giro, tão necessários para atravessar a crise provocada pela pandemia do coronavírus, mantendo os negócios e o emprego”, disse, em nota, o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Veja abaixo as condições de crédito:

 (Caixa/Divulgação)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.