• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

Seis meses de Pix: como avançamos e quais são os próximos passos?

Com seis meses de operação, Pix alcançou quase 40% dos brasileiros; confira como sua implementação tem transformado o sistema financeiro e o que vem a seguir
 (Getty Images/Rafael Henrique/SOPA)
(Getty Images/Rafael Henrique/SOPA)
Por Lucas JosaPublicado em 25/05/2021 13:40 | Última atualização em 25/05/2021 14:11Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Funcionando há pouco mais de seis meses, o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, o Pix, foi desenvolvido pela autarquia para oferecer um sistema de transações que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, com uma velocidade muito maior do que as TEDs e DOCs, sem nenhum custo ou limite de transações para pessoas físicas.

Com a intenção de estimular o uso de meios digitais como forma de pagamento, fomentando um acesso mais democrático ao sistema financeiro nacional, o Pix já transacionou mais de 1 trilhão de reais desde o início de suas operações, atingindo aproximadamente 82 milhões de brasileiros, quase 40% de toda a população do país.

Entretanto, por mais que o novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central já tenha caído no gosto de uma boa parcela dos brasileiros, o Pix ainda precisa superar alguns desafios para que sua adoção se torne ainda maior, alcançando a população em idade mais avançada e, as áreas mais remotas do país, nas quais o acesso às telecomunicações ainda é precário e a população ainda não possui um acesso tão amplo a esse tipo de tecnologia.

No episódio mais recente do podcast do Future of Money, Gabriel Rubinsteinn, Lucas Yamamoto e Lucas Josa discutem sobre o funcionamento do Pix, explicando quais foram as principais mudanças no sistema financeiro após sua implementação e debatendo sobre os maiores desafios que o novo sistema de pagamentos terá de superar para atingir toda população brasileira. Ouça o podcast clicando no player abaixo, ou na sua plataforma de streaming preferida:

Veja Também

CEO de corretora cripto americana se reúne com Roberto Campos Neto
Future of Money
Há 6 dias • 2 min de leitura

CEO de corretora cripto americana se reúne com Roberto Campos Neto

Moradores de São Paulo passam a usar celular sem Pix na rua
Brasil
Há uma semana • 6 min de leitura

Moradores de São Paulo passam a usar celular sem Pix na rua

Celular reserva e senha no chip: como tornar o smartphone mais seguro
Tecnologia
Há uma semana • 8 min de leitura

Celular reserva e senha no chip: como tornar o smartphone mais seguro

O grande erro de Fed e BCE e o risco de estagflação mundial
Mercados
Há uma semana • 6 min de leitura

O grande erro de Fed e BCE e o risco de estagflação mundial

Taxa de juros tem alta pelo quarto mês consecutivo, segundo ANEFAC
Minhas Finanças
Há uma semana • 3 min de leitura

Taxa de juros tem alta pelo quarto mês consecutivo, segundo ANEFAC