South Summit Brazil: Esteves, do BTG, vê contexto inédito para inovar no Brasil

Chairman do BTG Pactual encerrou primeiro dia de programação do South Summit Brazil; em palestra, executivo afirmou que cenário global pode favorecer a inovação brasileira

André Esteves, durante o South Summit Brazil 2023 (Maria Clara Dias/Exame)
André Esteves, durante o South Summit Brazil 2023 (Maria Clara Dias/Exame)

Publicado em 29 de março de 2023 às 21h10.

Última atualização em 30 de março de 2023 às 16h16.

“A despeito de contexto mundial negativo, Brasil nunca esteve tão bem para inovar”. A afirmação é de André Esteves, chairman do BTG Pactual (do mesmo grupo que controla a EXAME). O executivo encerra a programação do primeiro dia do South Summit, evento de empreendedorismo que acontece em Porto Alegre (RS).

Em palestra, Esteves avaliou o cenário político e econômico global, e o papel das empresas em gerar impacto diante de desafios sociais e financeiros.

Para Esteves, o contexto mundial vive duas grandes rupturas: uma econômica, com destaque para a alta dos juros global, e uma geopolítica, com a guerra da Ucrânia e distanciamento crescente entre Estados Unidos e China.

Apesar de o cenário instável encarecer o capital mundo afora, a instabilidade não deve alterar substancialmente o rumo da inovação e as oportunidades para empreendedores — sobretudo no Brasil.

Qual a consequência para o Brasil?

A correção de preços financeiros, para ele, não deve impactar a inovação no mundo. “A Tesla, por exemplo, seguirá sendo uma história excelente de inovação, valendo 3 trilhões de dólares ou 200 bi”, afirma.

Apesar de o cenário instável encarecer o capital mundo afora, a instabilidade não deve alterar substancialmente o rumo da inovação e as oportunidades para empreendedores — sobretudo no Brasil.

Para Esteves, o maior custo de capital leva a um ajuste natural do mercado, que passa a viabilizar apenas projetos de inovação que fazem sentido e que priorizem a eficiência, especialmente em cadeias alimentares e de segurança.

“O maior custo do dinheiro não impede a era privilegiada que a gente tem em inovação”, disse.

Além disso, a falta de vínculo com temas geopolíticos, o ambiente favorável a negócios com múltiplas regiões e a matriz energética limpa favorecem a inovação no país. “Todos os novos critérios colocam o Brasil numa posição privilegiada. Esse momento é oportunidade para o Brasil.”

*Os jornalistas viajaram a convite do evento

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedorismoInovação

Mais de Negócios

O coworking que eles criaram na garagem de casa superou a pandemia, faz R$ 10 milhões e vai expandir

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação de 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Raízen Power mira as pequenas empresas para oferecer economia na conta de luz

Mais na Exame