Negócios

Refinaria Manguinhos faz pedido de recuperação judicial

Empresa deve apresentar a credores plano sobre como realizar pagamentos em 60 dias

Refinaria Manguinhos: a desapropriação do imóvel da refinaria pelo Estado do Rio de Janeiro no fim do ano passado deu início ao processo de crise que levou ao pedido de recuperação judicial (Divulgação)

Refinaria Manguinhos: a desapropriação do imóvel da refinaria pelo Estado do Rio de Janeiro no fim do ano passado deu início ao processo de crise que levou ao pedido de recuperação judicial (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de janeiro de 2013 às 18h43.

Última atualização em 17 de dezembro de 2018 às 18h33.

Rio de Janeiro - A refinaria Manguinhos divulgou nesta segunda-feira que ingressou com pedido de recuperação judicial, com o objetivo de viabilizar o pagamento de passivo causado pela desapropriação do imóvel onde está localizada, pela política de subsídios à gasolina, e pela alta dos insumos devido ao câmbio.

Segundo a companhia, um "plano consistente" de pagamento será apresentado aos credores nos próximos 60 dias, mostrando como a ela pretende equacionar suas dívidas e conservar suas atividades, onde atua há quase 60 anos.

O início da crise da refinaria se deu em outubro passado, quando o governo do Estado do Rio de Janeiro publicou decreto de desapropriação do imóvel para construir na área um projeto habitacional para a população de baixa renda.

Há poucos dias a empresa anunciou que seu controlador faria um aporte de cerca de 55 milhões de reais na tentativa de equalizar os danos.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasCombustíveisGasolinaMetrópoles globaisRecuperações judiciaisRefit – Refinaria de ManguinhosRio de Janeiro

Mais de Negócios

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Ligadona em você: veja o que aconteceu com a Arapuã, tradicional loja dos anos 1990

A empresa inglesa que inventou a retroescavadeira vai investir R$ 500 milhões no Brasil — veja onde

Mais na Exame