Negócios

Promon planeja romper o patamar de R$ 1 bilhão neste ano

Para tanto, a companhia precisa crescer 20%, segundo seu presidente

Gemignani, da Promon: área de petróleo responde por 60% das vendas

Gemignani, da Promon: área de petróleo responde por 60% das vendas

Tatiana Vaz

Tatiana Vaz

Publicado em 2 de junho de 2011 às 17h23.

São Paulo - A Promon, uma das maiores empresas de infraestrutura do país, pretende aumentar em 20% seu faturamento neste ano. Em 2009, o grupo registrou receitas de 900 milhões de reais.

Se a meta for cumprida, a empresa vai superar o patamar de 1 bilhão de reais. Mas, segundo Luis Ernesto Gemignani, presidente do conselho da companhia, esse crescimento ainda é modesto, quando comparado ao que a empresa esperar do potencial de expansão da infraestrutura brasileira, e ao que o país precisa. Gemignani participou hoje (31/5) do EXAME Fórum, que está acontecendo no Hotel Unique, na capital paulista.

De acordo com Gemignani, para conseguir atender às necessidades de obras do país nos próximos cinco anos, a Promon precisará ajustar sua capacidade de entrega e capital humano, iniciativas que a companhia vem adotando há algum tempo. "Sabemos que daremos conta do mercado, falta agora os investimentos em infraestrutura serem feitos pelas empresas públicas e privadas", disse o executivo.

 
Praticamente todo o restante do faturamento é alcançado com vendas para o setor de telecomunicação. Nessa área, a Promon é a principal integradora de soluções da Cisco, além de realizar vendas para todas as operadoras de telefonia móvel do país.
Acompanhe tudo sobre:EmpresasInfraestruturaPromon

Mais de Negócios

Após balanço, fortuna de Jensen Huang, CEO da Nvidia, avança R$ 39,4 bilhões em 1 dia

Esses 4 colegas da faculdade receberam R$ 10 milhões por tecnologia contra dorminhocos no trânsito

Sobra resiliência, falta comunicação: o potencial latino de atrair investimentos é debate na China

Uber vai lançar categoria exclusiva de carros híbridos e elétricos no Brasil

Mais na Exame