Negócios

Por dentro da sede do Santander, em São Paulo

Por lá, comodidade é palavra de ordem. Sem sair da empresa, funcionários têm acesso a médico, dentista, salão de beleza, lojas, academia e lavanderia

Fachada da sede do Santander, em São Paulo (Luísa Melo/Exame.com)

Fachada da sede do Santander, em São Paulo (Luísa Melo/Exame.com)

Luísa Melo

Luísa Melo

Publicado em 4 de abril de 2014 às 16h29.

São Paulo -  A sede do Santander na avenida Juscelino Kubitschek, em São Paulo, parece ter sido projetada para que os cerca de 6 mil funcionários que trabalham ali precisem se ausentar minimamente durante o horário comercial.  Sem sair de lá, é possível se consultar com o médico ou dentista, passar no cabeleireiro, malhar, fazer compras, lavar roupas e,  é claro, ir ao banco.

Já nos ambientes de trabalho, a palavra de ordem é colaboração. Os funcionários (com exceção dos vice-presidentes) trabalham lado a lado, sem salas ou baias divisórias. 

“Procuramos reunir em um mesmo espaço, facilidades e conveniências que contribuam para a melhoria da qualidade de vida do funcionário no ambiente de trabalho”, diz Mauro Siequeroli, diretor de recursos corporativos do Santander.

Além de oferecer a comodidade de uma série de serviços, o prédio é sustentável. As lixeiras individuais estão sendo extintas aos poucos e todo o lixo orgânico produzido na empresa é processado em uma sala de desidratação que fica no subsolo. A sala tem capacidade para tratar até 1,5 mil quilos e 4,5 mil litros de resíduos de uma só vez. Nas fotos, conheça um pouco mais sobre a sede da companhia. 

Acompanhe tudo sobre:BancosEmpresasEmpresas abertasEmpresas espanholasEscritóriosFinançasgestao-de-negociosSantanderSedes de empresas

Mais de Negócios

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Ligadona em você: veja o que aconteceu com a Arapuã, tradicional loja dos anos 1990

A empresa inglesa que inventou a retroescavadeira vai investir R$ 500 milhões no Brasil — veja onde

Mais na Exame