Negócios

Piquenique, cinema e restaurante privativo: hotéis inovam na pandemia

Diante da queda drástica da demanda, redes apostam em novas experiências para atrair o consumidor

Grand Mercure, na Vila Olímpia, em São Paulo: rede oferece novas opções (Leo Freitas/Accor/Divulgação)

Grand Mercure, na Vila Olímpia, em São Paulo: rede oferece novas opções (Leo Freitas/Accor/Divulgação)

JE

Juliana Estigarribia

Publicado em 29 de agosto de 2020 às 08h00.

Última atualização em 1 de setembro de 2020 às 12h33.

A demanda no setor hoteleiro despencou quase 90% no auge da quarentena no Brasil, mas aos poucos as redes vêm registrando uma retomada gradual. Para atrair o consumidor, hotéis oferecem novas experiências, desde piquenique ao ar livre até cinema e jantar assinado por chef francês no quarto.

As apostas são necessárias para compensar, ao menos em parte, a queda drástica da demanda no segmento corporativo. "Diante das restrições do turismo internacional e da alta do dólar, o brasileiro está buscando alternativas para descansar e se distrair com segurança", afirma Fabio Godinho, presidente da rede GJP de hotéis e resorts, em entrevista à EXAME.

Entre as bandeiras da rede está a Wish, com unidades em Gramado (Rio Grande do Sul) e Natal (Rio Grande do Norte), por exemplo, que já ofereciam experiências como cinema no quarto, com direito a poltronas e pipoca. Mas foi na pandemia que a demanda decolou de vez.

"Vendíamos cerca de 10 pacotes por semana, agora vendemos 10 por dia, no mínimo", relata Godinho.

Piquenique

Também na rede Wish, há a opção de comprar o pacote de piquenique. A experiência pode ser voltada para famílias ou casais.

Experiência da bandeira Wish (Helena de Castro/GJP)

No horário marcado, os hóspedes precisam apenas chegar ao local do piquenique - uma área ao ar livre, com distanciamento social - e desfrutar de comes e bebes, além dos itens como toalha e utensílios.

O preço varia. Na unidade Wish Serrano, por exemplo, o pacote de piquenique custa a partir de 55 reais por pessoa, na versão mais simples que inclui tábua de queijos, frios, frutas secas e oleaginosas, frutas e sanduíches naturais, entre outros itens.

Jantar com vista para o Ibirapuera

Refeições no quarto - dentro do conceito de room service - não são novidade no mundo da hotelaria, mas as redes estão ampliando a oferta do serviço para quem não quer ou precisa necessariamente se hospedar no local.

O Pullman Ibirapuera, da rede Accor, adaptou alguns quartos, retirando as camas, para atender os clientes como se fossem um "restaurante particular". Há ainda a opção de hospedagem no pacote.

Menu especial elaborado toda semana (Leo Freitas/Accor/Divulgação)

Toda semana, o chef francês Jean Christophe, responsável pela cozinha do restaurante TasteIT, elabora um menu especial com entrada, prato principal e sobremesa. Os quartos, que podem receber até quatro pessoas, se destacam pela vista de pontos turísticos de São Paulo, como o parque do Ibirapuera, por exemplo.

A experiência é ofertada às sextas e sábados e precisam ser reservadas com 24 horas de antecedência, sem a necessidade de pré-pagamento. O valor é de 600 reais por casal (inclui vinhos, bebidas não-alcoolicas e taxas) e 1.200 reais no caso de hospedagem, com direito a café da manhã.

Higienização

Para garantir que os hóspedes tenham o máximo de segurança possível, a rede GJP fechou um contrato exclusivo com o Hospital Sírio Libanês para um protocolo de biossegurança em todas as áreas do hotel.

"No quarto, os hóspedes podem ficar absolutamente tranquilos que onde ele tocar estará descontaminado", assegura o executivo. No restante das áreas, as equipes de funcionários foram treinadas e as rotinas de limpeza e higienização aumentaram.

A rede investiu 3 milhões de reais no protocolo. "Nos próximos dois anos, essa preocupação deve ser prioritária para nós."

A rede Accor informa também ter fortalecido e intensificado as medidas de higiene e prevenção para garantir a segurança dos hóspedes. O grupo utiliza o selo Allsafe e certificação realizada pela organização internacional Bureau Veritas.

"Nosso novo protocolo, com elevados padrões de limpeza, garante que esses padrões são cumpridos em todos os nossos hotéis", diz o grupo.

Acompanhe tudo sobre:AccorCoronavírusHotéis

Mais de Negócios

Criada após perda familiar, startup maranhense que facilita realização de cirurgias capta US$ 1,5 mi

Yopa: o que aconteceu com a famosa marca de sorvetes e picolés dos anos 1990

Fusão entre Cobasi e Petz fez o número de interessados em conversão crescer 25%, diz CEO da Petland

Não aos feriadões fake

Mais na Exame