Acompanhe:
seloNegócios

As pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras registraram alta de 14,6% nas movimentações financeiras em outubro de 2023, de acordo com Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs). O índice indica que o quarto trimestre do ano iniciou em aceleração, após crescimento de 9,4% no terceiro trimestre. No acumulado do ano até outubro, o IODE-PMEs mostra crescimento de 6,0% na comparação com igual período do ano anterior.

O IODE-PMEs funciona como um termômetro econômico das empresas com faturamento de até R$ 50 milhões anuais, divididas em 678 atividades econômicas que compõem quatro grandes setores: Comércio, Indústria, Infraestrutura e Serviços.

Taylor Swift e RBD impulsionam vendas de pequenos e médios empreendedores

Para o economista Felipe Beraldi o resultado de outubro reflete a manutenção da recuperação financeira real de contas a receber das PMEs da Indústria e aceleração do setor de Serviços.

“O comportamento favorável do mercado de PMEs foi previamente sinalizado pelos resultados da ‘Sondagem Omie das Pequenas Empresas’, realizada entre julho e agosto de 2023, em que cerca de 80% dos gestores de pequenos negócios estimavam que o faturamento deveria manter tendência de crescimento no curto prazo”, diz.

Quais setores mais cresceram

No setor de Serviços, as PMEs cresceram 13,4% em outubro no comparativo com o mesmo mês do ano anterior, após avançarem 9,1% no terceiro trimestre, puxado pelo bom desempenho dos segmentos:

  • ‘Saúde humana e serviços sociais’
  • ‘Atividades administrativas e serviços complementares’
  • ‘Atividades profissionais, científicas e técnicas’

“A retomada do crescimento de alguns segmentos de PMEs afeta positivamente os negócios de prestadores de serviços para empresas, como os contadores”, diz Beraldi.

O maior crescimento observado em outubro pelo IODE-PMEs foi do setor industrial, que avançou 23,5%. Dos 23 subsetores da indústria de transformação acompanhados pelo índice, 20 mostraram crescimento de dois dígitos no último mês, com destaque para as atividades de:

  • ‘Fabricação de produtos de madeira’
  • ‘Fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos’
  • ‘Impressão e reprodução de gravações’

No segmento de Infraestrutura, o IODE-PMEs mostrou avanço da movimentação financeira real  de 8,1%, reflexo do bom desempenho de atividades ligadas à construção civil, como “Serviços especializados para construção’ e ‘Construção de edifícios’. Por outro lado, o índice segue indicando queda da atividade das PMEs ligadas às atividades de ‘Obras de infraestrutura’.

O setor de Comércio foi o único que apresentou retração em outubro. O setor apresentou  queda de 0,5%.

"O resultado recente reflete, sobretudo, a recuperação no segmento atacadista (+5,5%), com destaque para atividades ligadas ao: ‘Atacado de mármores e granitos’, ‘Atacado de produtos de higiene pessoal’ e ‘Atacado de alimentos’”, diz Beraldi.

Pequenos negócios respondem por 73% dos empregos criados em setembro

No varejo, apesar da nova queda de 14,1% observada em outubro, há atividades de alguns segmentos que seguem em crescimento, como:

  • ‘Varejo de pedras para revestimento’
  • ‘Varejo de artigos de cama, mesa e banho’
  • ‘Varejo de plantas e flores naturais’

“Em linhas gerais, observamos manutenção dos condicionantes principais de crescimento das PMEs para os próximos meses: i) sustentação da renda, reflexo da resiliência vista no mercado de trabalho; ii) menores pressões inflacionárias e; iii) primeiros passos do ciclo de redução da taxa básica de juros (Taxa Selic) pelo BCB”, diz o economista.

Apesar dos resultados positivos, o economista destaca que o cenário para as PMEs no curto prazo se mostra permeado por maior grau de incertezas, reflexo do aumento das preocupações com a capacidade do governo em sustentar seus planos de ajuste fiscal.

“Ainda é cedo para atestar que o cenário doméstico se encontra pendendo para um lado mais pessimista, porém o tema deve ser monitorado de perto pelos empreendedores e demais agentes do mercado”, afirma Beraldi.

Como o marco legal das garantias pode beneficiar os pequenos negócios

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Ricardo Bellino leva líderes empresariais ao mosteiro Zen para aprender nova abordagem de liderança
seloNegócios

Ricardo Bellino leva líderes empresariais ao mosteiro Zen para aprender nova abordagem de liderança

Há 4 horas

Faturamento das pequenas e médias empresas cresce 13,9% em janeiro
seloNegócios

Faturamento das pequenas e médias empresas cresce 13,9% em janeiro

Há 5 horas

Como abrir um negócio usando a inteligência artificial e ter mais chance de ser bem sucedido
seloNegócios

Como abrir um negócio usando a inteligência artificial e ter mais chance de ser bem sucedido

Há 5 horas

Muito além de celulares: como a Xiaomi quer vender 20 milhões de veículos elétricos
seloNegócios

Muito além de celulares: como a Xiaomi quer vender 20 milhões de veículos elétricos

Há 12 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais