Negócios

Os planos da chinesa BYD para fazer da Bahia o “Vale do Silício brasileiro”

Empresa lançou nesta segunda-feira (9) a pedra fundamental para início de reforma de fábrica de carros elétricos na Bahia

Wang Chuanfu, CEO global da BYD: empresa fez o lançamento da operação industrial no Brasil. Fábrica deve começar a operar entre o final de 2024 e início de 2025 (Leandro Fonseca /Exame)

Wang Chuanfu, CEO global da BYD: empresa fez o lançamento da operação industrial no Brasil. Fábrica deve começar a operar entre o final de 2024 e início de 2025 (Leandro Fonseca /Exame)

Daniel Giussani
Daniel Giussani

Repórter de Negócios

Publicado em 9 de outubro de 2023 às 13h06.

Última atualização em 9 de outubro de 2023 às 15h55.

De Camaçari (BA)

O investimento de 3 bilhões de reais que a chinesa BYD vai fazer em Camaçari, na Bahia, tem uma intenção maior do que abrir uma fábrica de veículos elétricos. De acordo com Stela Li, presidente da empresa nas Américas, a montadora asiática quer transformar a região metropolitana de Salvador no “Vale do Silício brasileiro”.

“Já estamos desenvolvendo uma tecnologia local para fazer um motor híbrido que aceite etanol”, disse Li. “E queremos juntar novas empresas para desenvolver tecnologia aqui. Fazer um polo”.

A executiva confirmou que, além da produção fabril, será montada na cidade de Camaçari um polo de tecnologia para a empresa. O ponto foi reiterado pelo CEO global, Wang Chuanfu.

“Somos uma empresa com mais de 90.000 engenheiros”, afirmou. “Solicitamos 19 patentes por dia. E queremos apoiar a Bahia, especialmente a região de Camaçari, a se tornar o Vale do Silício do Brasil. É por isso que construiremos um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Salvador”.

As falas foram feitas durante o lançamento da pedra fundamental da fábrica da BYD na Bahia, nesta segunda-feira (9). A operação ficará onde funcionou, até 2021, às instalações da Ford, que saíram do Brasil. De acordo com a chinesa, o plano é começar a fabricar elétricos nacionais entre o final de 2024 e o início de 2025.

Como será a fábrica da BYD no Brasil

O plano de investimento é de pelo menos R$ 3 bilhões no país – sendo R$ 1 bilhão já sendo destinado até 2024 – e a geração de 5 mil empregos diretos e indiretos a partir da nova planta estabelecida no estado.

No evento, Li também confirmou que os primeiros veículos produzidos na fábrica brasileira serão o Dolphin, o Song e o Yuan.

A fábrica da BYD contará com três unidades fabris. A terceira, de processamento de insumo, será montada em outro plano de investimento, ainda não divulgado. 

  • Unidade 1: produção de caminhões elétricos e chassis para ônibus
  • Unidade 2: produção de carros elétricos e híbridos
  • Unidade 3: processamento de insumos, como lítio e ferro fosfato

Bahia terá incentivos fiscais

Durante o evento, o governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues, anunciou também a isenção de IPVA para carros elétricos emplacados no Estado com valor de até 300.000 reais. O projeto será apresentado na Assembleia Legislativa e prevê também que, para carros elétricos acima de 300.000 reais, a alíquota será de 2,5%.

Na cerimônia, o senador Otto Alencar também falou que os incentivos fiscais do governo federal concedidos ao setor automotivo no Nordeste e no Norte também valerão à montadora chinesa. Os incentivos para a região vêm sendo prorrogados desde 1997 e agora estão sob avaliação do Senado.

*A reportagem viajou a Camaçari a convite da BYD
Acompanhe tudo sobre:AutomobilismoAutoindústria

Mais de Negócios

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Baré, Fruki, Coroa, Jesus: conheça os refrigerantes de guaraná que bombam pelos estados do Brasil

De gravadora a companhia aérea: conheça Richard Branson, o bilionário que inspira os donos da Cimed

Mais na Exame