Negócios

Na pré-Black Friday, venda online cai 15,8%, mas eletro e cosméticos sobem

Pesquisa da NielsenIQ Ebit mostra que as duas categoria representam mais de 90% dos ganhos do período

Black Friday: vendas no e-commerce brasileiro recuam no início de dezembro (japatino/Getty Images)

Black Friday: vendas no e-commerce brasileiro recuam no início de dezembro (japatino/Getty Images)

Isabela Rovaroto
Isabela Rovaroto

Repóter de Negócios

Publicado em 23 de novembro de 2023 às 15h42.

Última atualização em 23 de novembro de 2023 às 15h50.

Apesar dos consumidores terem antecipado as buscas por ofertas da Black Friday 2023, o faturamento do e-commerce brasileiro caiu 15,8% na primeira quinzena de novembro, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 23, pela consultoria NielsenIQ.

O recuo foi impulsionado pelo desempenhos abaixo da média das categorias de Telefonia, que recuou 40% e Casa e Decoração, que registrou uma queda de 24% no período.

"Essa análise dos primeiros 15 dias de novembro revela uma retração nas vendas do e-commerce, que se torna um termômetro do que ocorre agora com a Black Friday", diz o gerente de Sucesso do Cliente da NIQ Ebit, Luiz F. Davison.

25 franquias baratas a partir de R$ 3.990 com desconto na Black Friday

Quais categorias mais cresceram

Embora o cenário geral seja de retração, duas categorias se destacaram positivamente, com mais de 90% dos ganhos do período. Perfumaria e Cosméticos registrou alta de quase 70%, seguida por Eletrodomésticos, que avançou que cresceu dos dígitos e se consolida como a principal categoria, representando 14% das vendas totais do e-commerce.

"O aumento nas vendas pode ser atribuído possivelmente às ondas de calor das últimas semanas, com as subcategorias de Climatizador, Ventilador e Ar Condicionado apresentando os maiores crescimentos, todos também na casa dos três dígitos", diz Davison.

Veja mais estratégias da Black Friday: 

Acompanhe tudo sobre:Black FridayBlack Friday 2023e-commerceEletrodomésticos

Mais de Negócios

Méliuz vira sócia de startup mineira para deixar o cliente cada vez mais fiél

Precavida Brasil quer expandir atuação no mercado nacional de precatórios

EXCLUSIVO: Suzano investe US$ 5 milhões em startup canadense que desenvolve hidrogel com eucalipto

Marqueteiro por trás dos copos Stanley retorna à Crocs

Mais na Exame