Montadoras projetam queda de 40% das vendas de veículos em 2020

O desempenho, se confirmado, representa um retrocesso ao nível de emplacamentos de 2004, estima a Anfavea

Diante dos efeitos devastadores da pandemia do novo coronavírus na economia brasileira, as montadoras projetam uma queda de 40% das vendas de veículos – entre leves e pesados – neste ano.

“O segundo trimestre vai ser muito dramático para a indústria. Estamos enfrentando um cenário muito preocupante”, afirma Luiz Carlos de Moraes, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A entidade projetava um crescimento de quase 10% das vendas neste ano, para 3,05 milhões de unidades. Agora, a previsão é que os emplacamentos não passem de 1,67 milhão de veículos, um retrocesso ao nível de 2004 do mercado brasileiro.

Em maio, os emplacamentos de veículos leves e pesados somaram 62.200 unidades, retração de 74,7% na comparação anual. Já as vendas acumuladas de janeiro a maio totalizaram 1,08 milhão de unidades, queda de 37,7% sobre igual período do ano passado.

A produção no mês passado atingiu 43.100 veículos, recuo expressivo de 84,4% sobre um ano antes. No acumulado do ano, os volumes produzidos atingiram 630.800 unidades, queda de 49% sobre igual período do ano passado.

Conforme a Anfavea, as exportações caíram 44,9% de janeiro a maio, na esteira da queda brutal da economia global, principalmente da Argentina, principal destino dos embarques brasileiros de veículos.

BNDES

O presidente da Anfavea afirmou que a entidade continua dialogando com o governo acerca de linhas de crédito para pequenas e médias empresas da indústria como um todo, não só do setor automotivo.

Isso porque montadoras estariam negociando diretamente com o banco de fomento para a liberação de linhas de crédito específicas. “Uma negociação não impede a outra”, disse Moraes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.