Mercado Livre recebe aval do BC para atuar como instituição de pagamentos

Companhia já opera uma série de serviços financeiros, incluindo pagamentos, mas em parceria com instituições financeiras autorizadas pelo BC

Mercado Livre: companhia pretende oferecer serviços como contas para pessoas físicas, que são remuneradas como se fossem um investimento, além de empréstimos (Mercado Livre/Divulgação)

Mercado Livre: companhia pretende oferecer serviços como contas para pessoas físicas, que são remuneradas como se fossem um investimento, além de empréstimos (Mercado Livre/Divulgação)

R

Reuters

Publicado em 1 de novembro de 2018 às 20h13.

São Paulo - A empresa de comércio eletrônico Mercado Livre recebeu nesta quinta-feira, 1, uma licença do Banco Central para atuar como instituição de pagamentos, disse à Reuters o vice-presidente de operações da empresa, Stelleo Tolda.

Atualmente, a companhia já opera uma série de serviços financeiros, incluindo pagamentos, por meio de sua divisão Mercado Pago, em parceria com instituições financeiras autorizadas a operar pelo BC.

"Agora, poderemos fazer isso de forma direta", disse Tolda.

Com a licença, o Mercado Livre pretende oferecer a clientes no Brasil uma gama de serviços financeiros como já acontece na Argentina, incluindo contas para pessoas físicas, que são remuneradas como se fossem um investimento, além de empréstimos.

A conta permite também serviços como pagamento de boletos, carregar bilhetes de vale-transporte, e créditos para celulares pré-pagos e envio de recursos para terceiros.

Mais de Negócios

Cartão de crédito consignado: o que é, como funciona e quem pode contratar

O coworking que eles criaram na garagem de casa supera a pandemia, faz R$ 10 milhões e vai expandir

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação de 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Mais na Exame