Justiça condena Supervia por má prestação de serviço à população

Na ação, a promotoria indicou que a Supervia desrespeita direitos básicos dos consumidores, "colocando em risco suas vidas e integridade corporal"

Por decisão da 6ª Vara Empresarial, a concessionária Supervia, responsável pela operação comercial e manutenção da malha ferroviária urbana de passageiros da região metropolitana do Rio de Janeiro, terá que cumprir várias obrigações em benefício dos usuários, devido à má prestação de serviço.

A sentença atende a ação civil pública ajuizada pela 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital, do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ).

O descumprimento pode acarretar multa diária à Supervia de R$ 200 mil.

A informação foi divulgada hoje (23). Ainda cabe recurso, informou a assessoria de imprensa do MPRJ.

A sentença foi proferida no último dia 15 e condena também a concessionária a indenizar os consumidores por danos patrimoniais e morais, individuais e coletivo. O valor fixado pelo juízo alcança R$ 500 mil.

Na ação, a promotoria indicou que a Supervia desrespeita direitos básicos dos consumidores, "colocando em risco suas vidas e integridade corporal em virtude de panes constantes nas composições ferroviárias", segundo a nota.

A empresa deverá, ainda, resolver, em até cinco dias, problemas técnicos decorrentes de panes e demais defeitos existentes nas composições ferroviárias, iniciando de imediato os reparos necessários.

Além disso, terá de retirar de circulação todas as composições que não apresentem condições seguras de trafegabilidade. O objetivo é que sejam efetuados todos os reparos de modo a garantir prestação de serviços de qualidade à população.

A Justiça condenou também a Supervia a informar de imediato aos passageiros quaisquer atrasos ocorridos, "tanto nas composições quanto nas estações de cada ramal ferroviário, fornecendo previsão mínima para o restabelecimento do serviço".

Defesa

Em nota, a empresa informou que tem ciência do processo, iniciado antes da atual administração, e que vai entrar com os recursos cabíveis dentro do prazo legal.

A concessionária lembrou que implementou diversas melhorias no sistema ferroviário desde que a atual gestão assumiu, em 2011.

A Supervia informou que neste ano iniciou um processo de transformação para recuperar, no menor tempo possível, o abandono de quatro décadas do sistema ferroviário fluminense.

Por meio do programa de investimentos de R$ 3,3 bilhões, em parceria com o governo do estado, a empresa renovou sua frota com 120 novos trens em operação, todos com ar-condicionado.

Além disso, também foram feitos novos planejamentos operacionais que possibilitaram a redução do intervalo médio entre os trens de 15 para sete minutos.

O número de viagens e a oferta de lugares também aumentaram e estações foram reformadas.

A empresa também inaugurou um novo centro de controle operacional e reduziu em 12 vezes o número de falhas dos trens, segundo o comunicado. Também foram revitalizada a infraestrutura ferroviária (estações, via férrea, equipamentos).

A Supervia informou que permanece com o compromisso de "contribuir com o desenvolvimento do Rio de Janeiro e mais onze municípios da região metropolitana", onde atua.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também