Negócios

Itaú não vê impacto de Redecard no resultado em 2 anos

Informação é do presidente da instituição financeira, Roberto Setubal, em teleconferência com analistas

Roberto Setuba, do Itaú: "Acho que é um preço bastante justo e isso vai afetar bastante próximo de zero o resultado do banco nos próximos dois anos" (Fabiano Accorsi/EXAME.com)

Roberto Setuba, do Itaú: "Acho que é um preço bastante justo e isso vai afetar bastante próximo de zero o resultado do banco nos próximos dois anos" (Fabiano Accorsi/EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 8 de fevereiro de 2012 às 11h10.

São Paulo - O Itaú Unibanco vê impacto da Redecard "bastante próximo de zero" no resultado do banco nos próximos 2 anos, afirmou nesta quarta-feira o presidente da instituição financeira, Roberto Setubal, em teleconferência com analistas.

"Acho que é um preço bastante justo e isso vai afetar bastante próximo de zero o resultado do banco nos próximos dois anos", disse Setubal, referindo-se à oferta de aquisição das ações da Redecard que o Itaú não possui por 35 reais por papel.

Considerando adesão de todos os minoritários, o Itaú desembolsará perto de 12 bilhões de reais por quase 50 por cento da Redecard que ainda não detém, conforme divulgado em fato relevante na terça-feira.

As ações do Itaú subiam 2,25 por cento às 11h31, para 37,22 reais. Os papéis da Redecard tinham ganho de 1,84 por cento, a 36,05 reais e acima do valor oferecido pelo Itaú.

Acompanhe tudo sobre:AçõesBancosBanqueirosBilionários brasileirosEmpresáriosEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasFusões e AquisiçõesItaúItaúsaPersonalidadesRede SustentabilidadeRoberto SetubalServiçosservicos-financeiros

Mais de Negócios

Justiça aprova plano de recuperação extrajudicial da Casas Bahia

De pequena lanchonete à franquia bilionária: o que o sucesso do McDonald’s ensina aos empreendedores

Desenrola Pequenos Negócios renegocia R$ 1,25 bilhão até 12 de junho

Executivos veem a inteligência artificial como um “divisor de águas”

Mais na Exame