Negócios

Itaú e BTG coordenarão IPO da BR Distribuidora, dizem fontes

Segundo fontes, a Petrobras contratou Itaú BBA, BTG, Citi, Banco do Brasil e Bradesco BBI para coordenar oferta pública inicial de ações da BR Distribuidora


	BR Distribuidora: o Citi, disseram as fontes, será o coordenador líder da operação
 (Divulgação)

BR Distribuidora: o Citi, disseram as fontes, será o coordenador líder da operação (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 17 de julho de 2015 às 20h11.

São Paulo - A Petrobras contratou Citi, Banco do Brasil, Itaú BBA, Bradesco BBI e BTG Pactual para coordenar a oferta pública inicial de ações da BR Distribuidora, disseram duas fontes a par do assunto nesta sexta-feira.

O Citi, disseram as fontes à Reuters, será o coordenador líder da operação, uma das alternativas da companhia para levantar recursos e reduzir a elevada alavancagem.

O grupo de bancos pode ainda incluir um banco estrangeiro, disse uma das pessoas, falando na condição de anonimato.

No começo do mês, a Petrobras informou que analisava atrair sócio estratégico e abrir o capital da BR Distribuidora, dentro de seu plano de desinvestimentos e reestruturação de negócios no valor de 57,7 bilhões de dólares até 2018.

A BR Distribuidora tem cerca de 7.500 postos de serviços em todo o país e abastece 10 mil grandes clientes entre indústrias, termelétricas, empresas de aviação e frotas de veículos.

Consultados, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú BBA, BTG Pactual e Citi afirmaram que não comentariam o assunto.

A Petrobras afirmou que está em período de silêncio após ter anunciado estudos para a BR Distribuidora.

Acompanhe tudo sobre:AtacadoBancosbancos-de-investimentoBB – Banco do BrasilBradesco BBIBTG PactualCapitalização da PetrobrasCitiComércioEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEstatais brasileirasGás e combustíveisHoldingsIndústria do petróleoIPOsitau-bbaMercado financeiroPetrobrasPetróleoVibra Energia

Mais de Negócios

Carrefour inaugura primeiro Atacadão na França

RS precisa de lei de incentivo à reconstrução similar à da cultura, diz empresário gaúcho

Com locação de equipamentos de TI, empresa tem crescimento orgânico de 54% em 2023

Justiça aprova plano de recuperação extrajudicial da Casas Bahia

Mais na Exame