Negócios

IFC e SGEF Brasil fecham crédito a máquinas mais eficientes

Financiamento se destina a empresas brasileiras para a substituição de máquinas, equipamentos ou veículos antigos por novas tecnologias

Investimento da IFC, ao aumentar a disponibilidade de equipamentos eficientes no consumo de energia deverá ajudar a reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 220 mil toneladas de CO2 por ano (Pascal Le Segretain/Getty Images/Getty Images)

Investimento da IFC, ao aumentar a disponibilidade de equipamentos eficientes no consumo de energia deverá ajudar a reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 220 mil toneladas de CO2 por ano (Pascal Le Segretain/Getty Images/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 26 de dezembro de 2017 às 15h27.

São Paulo - O braço financeiro do Banco Mundial, a International Finance Corporation (IFC), fechou um empréstimo de US$ 60 milhões ao Société Générale Equipment Finance S.A. Arrendamento Mercantil (SGEF Brasil), braço internacional de financiamento de equipamentos e de fornecedores do Grupo Société Générale.

O financiamento se destina a empresas brasileiras para a substituição de máquinas, equipamentos ou veículos antigos por novas tecnologias, mais eficientes no consumo de energia e menos nocivas ao meio ambiente.

O investimento da IFC, ao aumentar a disponibilidade de equipamentos eficientes no consumo de energia - como empilhadeiras elétricas, sistemas de iluminação eficientes ou veículos híbridos -, deverá ajudar a reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 220 mil toneladas de CO2 por ano, o que equivale à retirada de 47.000 carros das ruas.

"Trata-se do primeiro empréstimo da IFC para uma empresa de leasing no Brasil, e também o primeiro a uma subsidiária do Grupo Société Générale Equipment Finance," disse, em nota, Marcelo Castellanos, executivo da IFC responsável pelo Grupo de Instituições Financeiras na América Latina e no Caribe.

"A luta contra o aquecimento global é um desafio em que o Société Générale está 100% comprometido", afirmou, na nota, Jochen Jemlich, CEO da Société Générale Equipment Finance.

Acompanhe tudo sobre:Banco MundialEmpresasSociété Générale

Mais de Negócios

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Mais na Exame