Acompanhe:
seloNegócios

Fornecedor da Apple na China é acusado de abuso trabalhista

Os problemas observados incluem saídas de emergência bloqueadas, o derramamento de dejetos industriais em rios, horas extras forçadas e falta de ventilação

Modo escuro

Continua após a publicidade

	"A Apple tem o compromisso de garantir a segurança e condições seguras de trabalho para todos em nossa cadeia de abastecimento", declarou a empresa em nota
 (Peter Parks/AFP)

"A Apple tem o compromisso de garantir a segurança e condições seguras de trabalho para todos em nossa cadeia de abastecimento", declarou a empresa em nota (Peter Parks/AFP)

A
AFP/Arquivos

Publicado em 5 de setembro de 2014 às, 06h38.

A fábrica chinesa Catcher Technology, que fornece componentes para a gigante de informática americana Apple, violou os padrões básicos de saúde, segurança e proteção ambiental - revela um informe divulgado nesta quinta-feira.

As organizações China Labor Watch e Green America fizeram a denúncia em um relatório de 25 páginas baseado em uma investigação feita em agosto na Catcher Technology. A unidade fica na cidade de Suqian.

Consultada sobre o tema, a Apple disse à AFP que realiza auditorias na fábrica, regularmente, e que trabalha com seus operadores para melhorar os padrões e implementar melhores práticas.

"A Apple tem o compromisso de garantir a segurança e condições seguras de trabalho para todos em nossa cadeia de abastecimento", declarou, em nota, a empresa com sede na Califórnia, fabricante dos iPhones, iPads, iPods e computadores Macintosh.

A Labor Watch disse que uma investigação feita no ano passado na Catcher identificou problemas similares. A organização garante que, na época, foram enviados comunicados privados à Apple e que nenhuma melhoria foi vista desde então.

"As violações à saúde e à segurança encontradas nessa fábrica por dois anos consecutivos são alarmantes", denunciou a diretora de campanhas da Green America, Elizabeth O'Connell.

"A falta de treinamentos de segurança nessa instalação e a manipulação inadequada de materiais perigosos contribuem para o risco de emergências que constituem uma ameaça para a vida", acrescentou.

A Catcher é administrada por uma empresa matriz com sede em Taiwan de mesmo nome e emprega cerca de 20 mil funcionários, de acordo com o relatório.

A fábrica declara fazer componentes para companhias como Sony, Motorola, Hewlett-Packard e Dell.

Os problemas observados na instalação incluem saídas de emergência bloqueadas, o derramamento de dejetos industriais em rios, horas extras forçadas e falta de ventilação. A investigação também descobriu dejetos de uma liga de alumínio e magnésio no solo, além de partículas de pó desses metais no ar.

As horas de trabalho de mais de um milhão de trabalhadores na cadeia de fornecedores são monitoradas semanalmente pela Apple. Segundo a gigante americana, a Catcher tem uma média de 95% de cumprimento com um teto de 60 horas por semana.

A Catcher é um dos 160 fornecedores que fazem parte de um programa de treinamento da Apple concentrado em meio ambiente, saúde e práticas de segurança.

Últimas Notícias

Ver mais
Missão técnica da Agricultura vai à China para discutir protocolo sanitário de proteína animal
EXAME Agro

Missão técnica da Agricultura vai à China para discutir protocolo sanitário de proteína animal

Há 12 horas

Com exportação para China, JBS investe R$ 150 milhões e duplica capacidade em frigorífico no MS
EXAME Agro

Com exportação para China, JBS investe R$ 150 milhões e duplica capacidade em frigorífico no MS

Há 14 horas

38 frigoríficos recém-habilitados pela China devem incrementar R$ 10 bi à balança brasileira
EXAME Agro

38 frigoríficos recém-habilitados pela China devem incrementar R$ 10 bi à balança brasileira

Há 16 horas

Exportações chinesas caem 7,5% na variação anual de março
Economia

Exportações chinesas caem 7,5% na variação anual de março

Há 16 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais