Negócios

Corinthians assina hoje pré-contrato com Odebrecht para a construção de estádio

Acordo prevê inauguração antes do segundo semestre de 2013, com obras financiadas pela construtora através do BNDES. Confira os pontos do pré-contrato

"Itaquerão": inauguração prevista para antes de 2013

"Itaquerão": inauguração prevista para antes de 2013

DR

Da Redação

Publicado em 7 de março de 2011 às 13h10.

São Paulo - Em nota oficial, o Corinthians anunciou que, nesta terça-feira (31/8), assinará um pré-contrato com a Odebrecht para a construção de seu estádio, em Itaquera, com um valor de referência de 335 milhões de reais, com a capacidade para receber 48.000 pessoas -- 16.000 delas em área coberta. A construção do estádio foi antecipada pelo site EXAME em maio (<a href="http://portalexame.com/negocios/noticias/corinthians-tera-estadio-proprio-neste-ano-nao-sera-pacaembu-559678.html" target="_blank">leia a reportagem</a>).</p>

"A adequação desse estádio, para o recente anúncio de que o mesmo servirá para os jogos da Copa de 2014 e para sua abertura, será objeto de novas avaliações entre o Corinthians e a Odebrecht, sempre visando chegar ao melhor resultado", afirmou o clube em comunicado.

Confira os pontos do pré-contrato:

- o projeto conceitual já existente será detalhado, transformando-se no projeto executivo da obra, depois de ser aprovado pelo Corinthians, antes do final deste ano;

- o projeto executivo será submetido ao BNDES, em busca do financiamento desta obra, dentre dos parâmetros já existentes no banco para projetos semelhantes, sem vantagens ou privilégios. A garantia deste financiamento será responsabilidade da Odebrecht.

- o Corinthians entrega à Odebrecht o direito de usar ou revender a denominação do estádio (naming rights), reservando-se a escolha de para quem irá este direito, se revendido, e dispondo de até um ano para autorizar a operação de revenda.

- o valor do contrato de denominação do estádio é idêntico ao valor médio estimado para a obra: 335 milhões de reais.


- se a receita auferida pela revenda for maior do que 335 milhões de reais, o valor que exceder ao valor contratado será de propriedade do Corinthians; no caso reverso, o Corinthians cobrirá a diferença com suas receitas próprias, na mesma proporção do repagamento do financiamento concedido pelo BNDES.

- do lado do custo, o Corinthians terá a última palavra nas decisões, no esforço de mantê-lo tão baixo quanto possível, respeitado o padrão fixado no projeto. Para tanto, contratará uma gerenciadora, que acompanhará todos os passos da construção.

- para manter receitas e despesas do novo estádio separadas das já existentes, o Corinthians criará uma companhia exclusivamente para construir e operar o estádio, propriedade integral do Clube. Esta empresa garantirá a integridade dos pagamentos, sem que a Construtora tenha qualquer ingerência ou participação na gestão do estádio.

- o Corinthians antevê, com base nos contatos técnicos previamente estabelecidos com o BNDES, o enquadramento formal do projeto antes de 90 dias e, o início das obras, ainda neste ano. Todos os esforços serão mobilizados para que a inauguração ocorra antes do segundo semestre de 2013, já que o apoio unanime dos governos Federal, do Estado e do Município abreviará os tempos de análise e aprovação pelos órgãos competentes.

- todas as disposições do protocolo estarão sujeitas à aprovação prévia do conselho de orientação e do conselho deliberativo, por parte do Corinthians; e do seu conselho de administração, por parte da Odebrecht.

Acompanhe tudo sobre:Construção civilCorinthiansEmpresasEmpresas brasileirasEsportesFutebolIndústriaIndústrias em geralNovonor (ex-Odebrecht)

Mais de Negócios

Méliuz vira sócia de startup mineira para deixar o cliente cada vez mais fiél

Precavida Brasil quer expandir atuação no mercado nacional de precatórios

EXCLUSIVO: Suzano investe US$ 5 milhões em startup canadense que desenvolve hidrogel com eucalipto

Marqueteiro por trás dos copos Stanley retorna à Crocs

Mais na Exame