Cade aprova fim de joint venture de Rossi e Construtora Capital

Rossi anunciou ao mercado o fim da parceria em 29 de agosto, como parte do processo de reestruturação operacional e estratégica de suas atividade

Rossi: Cade afirmou que o fim da joint venture "não levanta maiores preocupações em termos concorrenciais no Brasil (Germano Lüders/Site Exame)

Rossi: Cade afirmou que o fim da joint venture "não levanta maiores preocupações em termos concorrenciais no Brasil (Germano Lüders/Site Exame)

R

Reuters

Publicado em 26 de setembro de 2017 às 08h48.

São Paulo - A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou o término da joint venture entre a Rossi Residencial e a Construtora Capital para o desenvolvimento de negócios imobiliários nos Estados do Amazonas e do Pará, segundo despacho publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira.

A Rossi anunciou ao mercado o fim da parceria em 29 de agosto, como parte do processo de reestruturação operacional e estratégica de suas atividades.

À época, a companhia ainda informou que os ativos existentes seriam divididos com a Construtora Capital e que a decisão não deveria comprometer a entrega de empreendimentos.

Na avaliação do Cade, a desconstituição da joint venture "não levanta maiores preocupações em termos concorrenciais no Brasil, tratando-se de uma mera desconcentração no mercado de incorporação imobiliária dos Estados do Amazonas e Pará", de acordo com parecer divulgado no site da autarquia.

Mais de Negócios

Cartão de crédito consignado: o que é, como funciona e quem pode contratar

O coworking que eles criaram na garagem de casa supera a pandemia, faz R$ 10 milhões e vai expandir

Grupo J&F anuncia investimento de R$ 25 bilhões e criação de 10 mil empregos no Brasil

Desenrola para empresas: veja perguntas e respostas sobre os novos programas para MEIs

Mais na Exame