Negócios

Anglo American demitirá 95.000 pessoas no mundo todo

Reestruturação diante da crise: o plano inclui a venda de ativos, grandes reduções de custos e a suspensão no pagamento de dividendos


	Reestruturação diante da crise: o plano inclui a venda de ativos, grandes reduções de custos e a suspensão no pagamento de dividendos
 (Divulgação)

Reestruturação diante da crise: o plano inclui a venda de ativos, grandes reduções de custos e a suspensão no pagamento de dividendos (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 8 de dezembro de 2015 às 10h39.

Londres - A Anglo American divulgou nesta terça-feira planos para uma grande reestruturação em seus negócios, que segundo a companhia resultará no corte de 85 mil empregos.

O plano inclui a venda de ativos, grandes reduções de custos e a suspensão no pagamento de dividendos, em uma tentativa para enfrentar a forte queda nos preços das commodities, em uma das mais drásticas reestruturações de uma grande mineradora, diante da queda nos preços das commodities e da desaceleração na demanda da China.

A mineradora britânica, a quinta maior do setor no mundo em valor de mercado, disse que planeja reduzir seu portfólio de ativos em 60%, para se concentrar em um número menor de ativos, que possam gerar caixa, em meio ao ciclo do preço das commodities.

A companhia disse que a venda de ativos e o fechamento de negócios não lucrativos a deixará com uma força de trabalho de 50 mil, de 135 mil atualmente.

Os cortes de empregos são bem maiores que os anunciados em julho, quando ela previu fechar 53 mil vagas.

A redução na folha de pagamento será realizada ao longo de vários anos, com expectativa de que a força de trabalho total seja reduzida para 92 mil por volta de 2017, disse a companhia. Ela não informou quando pretende chegar aos 50 mil.

O executivo-chefe da empresa, Mark Cutifani, disse que a melhor resposta para os acionistas é tornar a empresa menor, mas com um portfólio de alta qualidade.

A Anglo disse que consolidará seu negócio em três unidades, das seis atuais, e aumentará o montante de ativos que pretende vender para o equivalente a US$ 4 bilhões, do mínimo anterior de US$ 3 bilhões, incluindo a venda de seus negócios de fosfatos e nióbio.

A companhia também disse que estava suspendendo o pagamento de dividendos para o segundo semestre deste ano e para o próximo ano, enquanto corta gastos de capital significativamente a fim de fortalecer seu balanço.

O Wall Street Journal informou que a companhia planejava cortar seu dividendo por causa da forte queda nos preços das commodities.

"Ninguém gosta de suspender um dividendo", disse Cutifani. "Nós achamos que esta é a coisa certa a fazer, para garantir que a companhia permaneça em boa forma."

Após os anúncios, a ação da Anglo American operavam em queda de 5,22%, às 7h42 (de Brasília).

Analistas do Citigroup disseram em nota que a reestruturação radical parece ser a ampliação de um plano de reestruturação já existente, em linha com as expectativas. Porém eles notaram que permanecem preocupados com o cronograma da empresa para atingir essas metas. 

Acompanhe tudo sobre:Anglo AmericanCommoditiesCortes de custo empresariaisDemissõesDesempregoEmpresasEmpresas inglesasgestao-de-negocios

Mais de Negócios

Méliuz vira sócia de startup mineira para deixar o cliente cada vez mais fiél

Precavida Brasil quer expandir atuação no mercado nacional de precatórios

EXCLUSIVO: Suzano investe US$ 5 milhões em startup canadense que desenvolve hidrogel com eucalipto

Marqueteiro por trás dos copos Stanley retorna à Crocs

Mais na Exame