Tecnologia

Facebook fecha laboratório e mata diversos apps

Laboratório de inovação para apps do Facebook foi fechado nesta semana. Algumas aplicações criadas por ele foram retiradas das lojas online


	Facebook: divisão de aplicativos criativos foi fechado, junto com alguns produtos
 (Divulgação/Facebook)

Facebook: divisão de aplicativos criativos foi fechado, junto com alguns produtos (Divulgação/Facebook)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 8 de dezembro de 2015 às 10h45.

São Paulo – O Facebook fez algumas mudanças e tirou alguns aplicativos que você, muito provavelmente, nunca usou das lojas online. O Creative Labs, divisão de inovação com apps da empresa, foi fechado nesta semana. Quase todos os produtos desenvolvidos pela equipe foram retirados das lojas online da Apple e do Google.

O Creative Labs funcionava como uma startup dentro do Facebook. Apesar da proposta interessante, os produtos desenvolvidos pela equipe nunca atingiram grande sucesso.

Entre os apps que estão sendo descontinuados pelo Facebook estão o Slingshot (competidor do Snapchat com mensagens que se apagam), o Riff (para gravar a compartilhar vídeos curtos) e o Rooms (tentativa de reformular os grupos e fóruns de internet).

O sobrevivente dessa leva é o Paper. Ele é, ao mesmo tempo, o app que atingiu maior sucesso. Ele era voltado para a leitura de notícias e estava disponível somente para iOS. Foi dele, vale dizer, que saiu a ideia dos Instant Articles--que chegou recentemente ao Brasil. Parte da equipe que cuida dessa nova empreitada do Facebook veio dos criadores do Paper.

Em um comunicado oficial para o site The Verge, um porta voz explicou a decisão. "Nós não atualizamos esses aplicativos há algum tempo e decidimos terminar oficialmente o suporte removendo os produtos da App Store e da Google Play."

Os outros apps continuarão funcionando para aqueles que já tiverem feito o download. Ao site Cnet, o Facebook afirmou que continuará experimentando com aplicativos.

Acompanhe tudo sobre:AppsEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookIndústria eletroeletrônicaInternetRedes sociaisSmartphones

Mais de Tecnologia

Apple se recupera na China e vendas de iPhone crescem 52% em abril

Elon Musk quer criar o supercomputador mais poderoso do mundo

Como fazer chamada de vídeo: 5 aplicativos para celular e computador

Como descobrir a senha do Wi-Fi que estou conectado

Mais na Exame