Negócios

Anac reprograma pagamentos atrasados de aeroportos concedidos

Outorgas são os lances que cada concessionária deu nos leilões desses aeroportos. Os valores totais das parcelas atrasadas somam R$ 2,354 bilhões

Aeroporto de Guarulhos: parcelas futuras da outorga fixa deverão ser recolhidas nos prazos e valores indicados nos aditivos contratuais assinados (./Divulgação)

Aeroporto de Guarulhos: parcelas futuras da outorga fixa deverão ser recolhidas nos prazos e valores indicados nos aditivos contratuais assinados (./Divulgação)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de dezembro de 2017 às 12h25.

Brasília - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que concluiu na quarta-feira, 20, os processos que preveem a reprogramação do pagamento das outorgas assumidas pelas concessões dos aeroportos de Brasília, Rio de Janeiro (Galeão), Guarulhos e Natal (São Gonçalo do Amarante).

As outorgas são os lances que cada concessionária deu nos leilões desses aeroportos. Os valores totais das parcelas atrasadas somam R$ 2,354 bilhões.

As empresas culparam a crise econômica do País pela queda de demanda nos aeroportos, o que teria causado desequilíbrio financeiro em seus contratos.

A Infraero é dona de 49% de cada uma das concessionárias desses aeroportos, fatia que o governo pretende reduzir.

Por meio de nota, a Anac informou que a reprogramação do pagamento foi concluída após as concessionárias quitarem todos os seus débitos com o Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac) e desistirem de processos nas esferas administrativa e judicial relacionados ao recolhimento das outorgas.

No acordo, as concessionárias também recolheram valores de outorga antecipada, os quais chegam a R$ 2,099 bilhões. Dessa forma, a arrecadação total chegou a pouco mais de mais de R$ 4,4 bilhões com contratos de concessão.

As parcelas futuras da outorga fixa deverão ser recolhidas nos prazos e valores indicados nos aditivos contratuais assinados, reajustados até o mês anterior à data de pagamento.

As demais obrigações contratuais continuam vigentes, incluindo a realização de todos os investimentos previstos nesses aeroportos.

A alteração dos contratos foi feita a partir de uma lei editada em 26 de outubro e uma portaria de 28 de março de 2017, publicada pelo Ministério de Transportes, Portos e Aviação Civil.

Para os aeroportos de Brasília e Guarulhos, o vencimento da próxima parcela será em julho de 2018. Galeão tem vencimento em junho de 2018 e Natal, em janeiro de 2020.

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de BrasíliaAeroporto de GuarulhosAeroportos do BrasilAnacGaleãoPrivatização

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame