Negócios

Accor e Instituto Avon buscam apoio no combate à violência contra a mulher

Empresas criaram fundo para captar R$10 milhões e detalham destinação dos recursos

Violência contra a mulher. (Carol Yepes/Getty Images)

Violência contra a mulher. (Carol Yepes/Getty Images)

Marina Filippe

Marina Filippe

Publicado em 8 de novembro de 2020 às 09h00.

Lançado pela Accor e Instituto Avon, com o apoio do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), o Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências Contra as Mulheres e Meninas, agora busca  novos parceiros em um hotsite. A plataforma também serve para divulgar as ações realizadas.

A vida está mais complexa, a rotina mais intensa, mas a EXAME Academy pode ajudar a manter a mente em foco

"O fundo reforça o quão fundamental é o papel da iniciativa privada para conter os impactos da pandemia na vida de tantas mulheres, especialmente aquelas em situação de violência", diz Daniela Grelin, diretora executiva do Instituto Avon.

Pelo site, empresas interessadas em fazer parte da causa podem conhecer as formas de participar. Para pessoa jurídica, é possível entrar no Fundo como Empresa Gestora (doações a partir de R$450 mil) ao participar do Comitê Gestor do Fundo, responsável por definir as organizações e projetos a serem beneficiados; como Empresa Apoiadora (doações entre R$250 mil e R$450 mil), ou, ainda, como Empresa Parceira (doações entre R$50 mil e R$249 mil). É possível também fazer a contribuição como pessoa física.

A meta do fundo é captar R$10 milhões para destinar para organizações que atendam às necessidades materiais, psicológicas e jurídicas das mulheres e crianças em situação de violência.

A  intenção é de que a distribuição ocorra da seguinte forma: 4.500 cestas básicas, durante quatro meses, para famílias lideradas por mulheres; ajuda emergencial de R$ 150 por mulher, por mês, durante quatro meses, para 60 mulheres egressas do abrigamento (em cada estado), impactando, ao menos, 500 mil mulheres ao ano; apoio psicológico e jurídico a 1.500 mulheres; 4.200 diárias em hotéis operados pela Accor em todo o Brasil, com pensão completa, para mulheres e filhos em situação de violência; e apoio a cinco organizações para ações jurídicas.

"O Acolhe é uma iniciativa para hospedar e capacitar mulheres vítimas de violência, oferecendo-lhes um abrigo temporário nos hotéis operados pela Accor, além de dispor ferramentas para auxiliar na construção de um futuro com mais protagonismo, autoconfiança e autonomia para essas mulheres", afirma Magda Kiehl, vice-presidente sênior de jurídico, riscos e compliance da Accor América do Sul.

Segundo a empresa, ao todo, 295 hotéis da Accor, localizados em 133 municípios no país, vão beneficiar milhares de mulheres. Esse recurso é proveniente do fundo de emergência global da Accor, o Heartist Fund, dedicado a iniciativas de solidariedade às vítimas do novo coronavírus.

Para as mulheres em situação de violência, é necessário acessar o site do Mapa do Acolhimento para encontrar os serviços públicos de proteção disponíveis para abrigamento, que podem ser hotéis, casas-abrigo ou casas de passagem.

Acompanhe tudo sobre:AccorAvonMulheres

Mais de Negócios

Problemas complexos estão travando a sua empresa? Veja 5 dicas para gerenciá-los

Ele vendia trufas e hoje fatura R$ 80 milhões com a maior rede de pilates da América Latina

Ronaldo pode vender clube espanhol por um quarto do valor embolsado com o Cruzeiro

Mora no exterior e quer doar recurso ao RS? Agora é possível através destas instituições financeiras

Mais na Exame