Mundo

Zelensky passa pelo Brasil e não encontra Lula. O que sabemos sobre sua ida à posse de Milei

Ao chegar na Argentina, a presença de Zelensky determinou que as autoridades argentinas tomassem medidas para uma forte operação de segurança, que inclui um protocolo para a derrubada de aviões

Zelensky não encontrou o presidente Lula, mas teve uma agenda com o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia, na rota até a Argentina (Twitter/Reprodução)

Zelensky não encontrou o presidente Lula, mas teve uma agenda com o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia, na rota até a Argentina (Twitter/Reprodução)

Publicado em 10 de dezembro de 2023 às 11h14.

Última atualização em 10 de dezembro de 2023 às 11h24.

Convidado confirmado na posse do novo presidente da Argentina, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky já está na Argentina, mas fez uma parada técnica em Brasília a bordo do ACJ319 que atende à Presidência do país, que está em guerra com a Rússia no ano passado.

Na capital brasileira, a parada foi apenas para reabastecimento. Não houve qualquer agenda política ou encontro com o presidente Lula, o qual não irá na cerimônia de posse de Milei. O Brasil será representado na solenidade pelo ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira. A aeronave pousou às 20h15 deste sábado, e partiu para o país vizinho cerca de duas horas depois.

O apelo de Zelensky

Antes de voar para Buenos Aires para participar na tomada de posse de Javier Milei, o jornal Clarín informou que o presidente da Ucrânia, apelou para evitar que a Rússia recuperasse a iniciativa no campo de batalha neste inverno, numa altura em que as tropas russas intensificam os seus ataques ao longo do toda a frente oriental.

Conforme informou neste sábado,10, o Estado-Maior General das Forças Armadas da Ucrânia, as tropas russas lançaram dezenas de ataques em diferentes setores da frente na sexta-feira, principalmente perto das cidades de Avdivka e Marinka, no leste.

Na esteira dos conflitos armados em território ucraniano, Zelensky costuma embarcar para viagens internacionais na Polônia. No trajeto até a posse de Javier Milei, Zelensky encontrou o primeiro-ministro de Cabo Verde Ulisses Correia no Aeroporto de Espargos durante a escala.

Os protocolos de segurança na Argentina

Ao chegar na Argentina, a presença de Zelensky determinou que as autoridades argentinas tomassem medidas extremas e lançassem uma forte operação de segurança que inclui um protocolo para a derrubada de aviões que sobrevoem o espaço aéreo argentino sem autorização, confirmaram fontes oficiais ao jornal Clarín.

Quais outras autoridades confirmaram presença?

A presença do presidente ucraniano na posse era esperada por colaboradores de Milei, que confirmaram o grande interesse do futuro chefe de Estado argentino em ampliar sua rede de alianças internacionais, sempre priorizando seu alinhamento com os Estados Unidos e Israel — virá a Buenos Aires o chanceler israelense, Eli Cohen.

Também estarão na posse de Milei o uruguaio Luis Lacalle Pou, o chileno Gabriel Boric, o equatoriano Daniel Noboa, o húngaro Viktor Orbán e o paraguaio Santiago Peña, entre outros.

Milei e Zelensky conversaram por telefone após a vitória do argentino no segundo turno, em 19 de novembro. A conversa foi revelada pelo próprio presidente ucraniano, em suas redes sociais.

Zelensky agradeceu a Milei por seu “apoio à Ucrânia” na guerra contra a Rússia de Vladimir Putin. Na mesma conversa, o ucraniano propôs ao presidente eleito argentino a realização de uma cúpula entre a Ucrânia e países latino-americanos, em Buenos Aires.

Com informações da Agência O Globo e do jornal Clarín

https://twitter.com/ZelenskyyUa/status/1733850198470709551/photo/1

Acompanhe tudo sobre:Javier MileiMauro VieiraLuiz Inácio Lula da SilvaVolodymyr-Zelensky

Mais de Mundo

Câmara baixa do Arizona aprova revogação de lei do século XIX que veta aborto em todos os casos

Premiê da Espanha enfrenta crise política após sua mulher ser investigada por corrupção

TikTok diz que recorrerá à Justiça após lei que pode proibi-lo nos EUA

EUA promete enviar ajuda militar à Ucrânia 'nas próximas horas'

Mais na Exame