Protesto e política: Obama publica artigo sobre protestos por George Floyd

Em artigo, ex-presidente dos Estados Unidos fala sobre como transformar o momento que os EUA vivem em mudanças reais
O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama: em artigo, democrata listou as lições que o momento traz e como transformá-las em mudanças reais (Kevin Lamarque/Reuters)
O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama: em artigo, democrata listou as lições que o momento traz e como transformá-las em mudanças reais (Kevin Lamarque/Reuters)
G
Gabriela Ruic

Publicado em 01/06/2020 às 13:04.

Última atualização em 01/06/2020 às 13:11.

Em meio aos protestos pela morte de George Floyd nos Estados Unidos, o ex-presidente do país, Barack Obama, escreveu um ensaio publicado nesta segunda-feira, 01, sobre as lições que o momento traz e como transformá-las em mudanças reais.

 

 

Vale notar que Obama foi o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos, mas muitas recebeu críticas durante seus dois mandatos pela maneira como endereçou a questão do racismo e da violência policial, considerada omissa por muitas lideranças.

Os temas voltaram aos holofotes na última semana, que tem sido de tumultos no país. Só neste final de semana, foram registradas dezenas de protestos e episódios de confrontos entre os manifestantes e a polícia em várias cidades. Desde que a onda de revolta começou, há cerca de uma semana, quatro mil pessoas já foram presas.

“Muitas pessoas me perguntam como podemos usar o momento para trazer mudanças reais”, escreveu o democrata. “Estará nas mãos de uma nova geração de ativistas moldar as estratégias mais adequadas. Mas acredito que há lições básicas a serem tiradas de esforços passados e que devem ser lembradas”.

Na mensagem, Obama reconhece a frustração da população “por décadas de fracassos na reforma das práticas policiais e o sistema de justiça criminal nos Estados Unidos”.

Notando que a maioria dos protestos aconteceram de forma pacífica, e que muitos policiais se juntaram aos manifestantes em sinal de apoio, o ex-presidente ponderou que “se queremos que nossa justiça criminal, e os Estados Unidos como um todo, operem em um código ético mais alto, precisamos exercer esse modelo” em crítica aos episódios violentos registrados nos últimos dias.

 

 

Obama continua seu artigo lembrando a todos que, muito embora seja necessário eleger presidentes, congressistas e lutar por um departamento de Justiça comprometido em combater o racismo e “seu papel corrosivo em nossa sociedade”, os postos que mais contribuem para essas reformas são justamente aqueles eleitos em nível estadual e municipal.

“A conclusão é a seguinte: se queremos mudanças reais, a escolha não é protesto ou política. Precisamos dos dois”, escreveu Obama, que fechou o texto com a seguinte frase: “vamos trabalhar”.

O texto de Obama vem na esteira de um vácuo de liderança deixado pelo presidente em exercício, Donald Trump, na crise que os EUA vivem. Durante os episódios deste final de semana, principalmente em Washington, Trump se recusou a fazer um pronunciamento oficial, em tom de união e pedindo o fim da violência no país. Com a temperatura subindo na capital, o republicano chegou a ser removido para o bunker por alguns minutos e a Casa Branca apagou as luzes.