Acompanhe:

Um total de 36 pessoas foram presas e 22 foram convocadas pela Justiça da Venezuela, suspeitas de estarem envolvidas em cinco supostos planos de conspiração contra o presidente Nicolás Maduro, informou o procurador-geral nesta sexta-feira, 26.

A "conspiração contínua", como chamou o procurador-geral, Tarek William Saab, da linha oficialista, foi revelada ao longo de 2023 e no início de 2024, segundo a investigação. O magistrado analisou os detalhes dos planos, que visavam ataques a bases militares para roubar armas e lançar uma campanha de homicídio.

Dos 22 detidos inicialmente, o número aumentou para "um total de 36 indivíduos, entre civis e militares", declarou.

"Nestas cinco conspirações estão pendentes as detenções de outros 22 envolvidos", acrescentou Saab em discurso no canal estatal.

Desde que estes planos foram divulgados, Maduro e o chefe do Parlamento associaram as supostas conspirações aos líderes da oposição, aos agentes de Inteligência dos Estados Unidos e ao Exército colombiano, todos alvos comuns do governo da Venezuela neste tipo de acusação.

O presidente venezuelano declarou que estes anúncios colocam em risco os acordos políticos para as eleições presidenciais, alcançados no processo de diálogo com a oposição e mediação da Noruega.

"Os acordos de Barbados estão correndo o risco de morrer", disse Maduro na quinta-feira, 25. "Declaro-os em terapia intensiva, os apunhalaram, os chutaram. Espero que possamos salvar os acordos de Barbados e promover o diálogo para grandes acordos de consenso nacional (...) sem planos de me assassinar, assassinar uns aos outros ou preencher o país com violência", acrescentou.

Simultaneamente, as Forças Armadas anunciaram a expulsão e rebaixamento de 33 militares, tanto da ativa quanto da reserva.

Saab divulgou vídeos de supostas confissões, incluindo um publicado na segunda-feira com um dos culpados associando a líder da oposição, María Corina Machado, que enfrenta uma inabilitação política com o objetivo de ser candidata presencial.

Seu nome é ocultado por um sinal sonoro, mas é possível lê-lo nos lábios do réu. Outro suspeito, em outro vídeo, liga um dos procurados ao partido Vamos Venezuela, de Machado.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Lula reafirma que Brasil é contra sanções a Venezuela, dizem interlocutores do governo brasileiro
Brasil

Lula reafirma que Brasil é contra sanções a Venezuela, dizem interlocutores do governo brasileiro

Há 11 horas

EUA retoma sanções contra a Venezuela após candidatos da oposição serem barrados das eleições
Mundo

EUA retoma sanções contra a Venezuela após candidatos da oposição serem barrados das eleições

Há 13 horas

EUA decidem se reativam as sanções petrolíferas contra Venezuela por bloqueio à oposição
Mundo

EUA decidem se reativam as sanções petrolíferas contra Venezuela por bloqueio à oposição

Há 21 horas

Maduro anuncia fechamento de sedes diplomáticas da Venezuela no Equador
Mundo

Maduro anuncia fechamento de sedes diplomáticas da Venezuela no Equador

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais