Mundo

Rússia bombardeia instalações de energia ucranianas e sofre ataques em suas refinarias

O ataque da madrugada deste sábado provocou "graves danos" a quatro centrais termelétricas em três regiões da Ucrânia

O ataque da madrugada deste sábado provocou "graves danos" a quatro centrais termelétricas em três regiões da Ucrânia (AFP)

O ataque da madrugada deste sábado provocou "graves danos" a quatro centrais termelétricas em três regiões da Ucrânia (AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 27 de abril de 2024 às 10h14.

A Rússia executou na madrugada de sábado, 27, um ataque em larga escala com mísseis contra instalações de energia, o que provocou "graves danos" a quatro centrais termelétricas em três regiões da Ucrânia, que por sua vez atacou duas refinarias de petróleo russas com drones.

O Exército russo intensificou os ataques contra a rede de energia elétrica ucraniana nos últimos meses, o que provocou apagões e obrigou o governo do país a pedir que os moradores economizem o consumo de energia.

Segundo as autoridades de Moscou, a Ucrânia disparou durante a madrugada mais de 60 drones contra o sul da Rússia, em um dos maiores ataques noturnos com os aparelhos não tripulados.

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou que as defensas antiaéreas "destruíram 66 drones ucranianos sobre o território da região de Krasnodar, além de outros dois sobre a península da Crimeia".

Kiev anunciou que atacou duas refinarias de petróleo e uma base militar da Rússia.

A Ucrânia bombardeou "instalações tecnológicas cruciais" em duas refinarias na região de Krasnodar, disse uma fonte do Ministério da Defesa ucraniano à AFP.

As autoridades russas anunciaram um incêndio em uma refinaria de Slaviansk e a imprensa estatal informou que a unidade foi obrigada a interromper sua produção.

Na região russa de Belgorod, na fronteira com a Ucrânia e alvo frequente de ataques, cinco pessoas ficaram feridas na queda de um drone ucraniano em uma estrada de um vilarejo, anunciou o governador Vyacheslav Gladkov.

Nos últimos meses, a Ucrânia intensificou os ataques contra refinarias e depósitos de petróleo na Rússia. Segundo Moscou, os bombardeios russos contra a rede de energia elétrica ucraniana são uma represália aos ataques.

Infraestruturas elétricas e ferroviárias

Em seu boletim matinal, o Exército ucraniano afirmou que as "Forças Armadas russas executaram outro ataque em larga escala com mísseis contra a Ucrânia".

"As infraestruturas de energia foram bombardeadas nas regiões de Dnipropetrovsk, Ivano-Frankivsk e Lviv", declarou o ministro da Energia, German Galushchenko.

As regiões de Lviv e Ivano-Frankivsk ficam no oeste da Ucrânia, na fronteira com a União Europeia e a centenas de quilômetros da frente de batalha.

A Força Aérea ucranianas anunciou que a Rússia disparou 34 mísseis - 21 foram derrubados.

Bombardeios contra uma localidade próxima da fronteira russa na região de Kharkiv (nordeste do país) mataram uma pessoa, segundo o serviço de emergência ucraniano.

A polícia nacional ucraniana informou que uma pessoa morreu e oito ficaram feridas em bombardeios na região de Kherson, sul do país. Duas pessoas ficaram feridas no centro do país, informaram as autoridades locais.

Kiev afirma que Moscou intensificou os ataques aéreos e terrestres antes da data nacional de 9 de maio, quando a Rússia comemora a vitória na Segunda Guerra Mundial, e no momento em que a Ucrânia aguarda a chegada de armas americanas cruciais.

A Rússia também intensificou os bombardeios contra a rede ferroviária ucraniana para "interromper" o envio de equipamento ocidental, afirmou uma fonte das forças de segurança de Kiev.

O Exército russo reivindicou na sexta-feira o bombardeio contra um trem que transportava armas ocidentais na cidade de Udachne, região de Donetsk.

Após os bombardeios de sábado, a operadora DTEK informou que quatro de suas centrais termelétricas sofreram "danos graves".

O governador da região de Lviv, Maksim Kozitski, pediu aos moradores que não utilizem aparelhos de alto consumo de energia entre 19h00 e 22h00 para preservar o fornecimento de eletricidade.

"É difícil para o sistema energético manter o equilíbrio entre produção e consumo", disse Kozitski.

Acompanhe tudo sobre:UcrâniaRússia

Mais de Mundo

Às vésperas do G7, EUA anuncia mais sanções contra Rússia pela guerra na Ucrânia

Gorjetas no exterior: dicas para viajar sem estresse

Milei retira Aerolíneas e Correios de lista de privatizações para tentar aprovar Lei de Bases

Hezbollah ataca Israel com mais de 100 foguetes após assassinato de comandante

Mais na Exame