Mundo

Rebeldes sírios assinam acordo de rendição na zona de Golã

O acordo de cessar-fogo em Quneitra permitirá que as instituições do governo voltarem para a região depois que os rebeldes entregarem as armas

O acordo não inclui os membros do grupo extremista Hayat Tahrir al Sham, ex-braço da Al-Qaeda na Síria, diz OSDH (Khalil Ashawi/Reuters)

O acordo não inclui os membros do grupo extremista Hayat Tahrir al Sham, ex-braço da Al-Qaeda na Síria, diz OSDH (Khalil Ashawi/Reuters)

A

AFP

Publicado em 19 de julho de 2018 às 10h56.

Rebeldes do sul da Síria alcançaram um acordo com a Rússia, aliada de Damasco, para uma rendição negociada em uma zona próxima à parte de Golã anexada por Israel - informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O acordo de cessar-fogo na província de Quneitra (sudoeste) permitirá às instituições do governo voltarem para a área depois que os rebeldes tiverem deposto as armas pesadas, acrescentou o OSDH.

As forças policiais se encarregarão do controle do território da zona de segurança, acrescentou.

Os insurgentes que rejeitarem o acordo poderão seguir para as zonas rebeldes na província de Idlib, no noroeste da Síria.

Segundo o OSDH, o acordo não inclui os membros do grupo extremista Hayat Tahrir al Sham, ex-braço da Al-Qaeda na Síria.

A agência oficial de notícias Sana afirmou que o acordo permitirá ao regime recuperar suas posições de antes de 2011, quando explodiu a guerra.

 

Acompanhe tudo sobre:Bashar al-AssadGuerra na SíriaRússiaSíria

Mais de Mundo

'Ninguém sabe quantos reféns israelenses estão vivos', diz porta-voz do Hamas

Submarino dos EUA responde a navios de guerra russos em Cuba

Agência americana investiga titânio falso em aeronaves da Airbus e Boeing

Com eleições antecipadas, oposição de esquerda se reunirá em uma 'Frente Popular' na França

Mais na Exame