Acompanhe:

Putin e Kim Jong Un trocaram cartas enquanto a Rússia quer munições da Coreia do Norte

Porta-voz do Conselho de Segurança Nacional russa disse que a Rússia está buscando mais projéteis de artilharia para reforçar sua base industrial de defesa

Modo escuro

Continua após a publicidade
Kim Jong Un, North Korea's leader, left, shakes hands with Vladimir Putin, Russia's president, ahead of the summit on Russky Island near Vladivostok, Russia, on Thursday, April 25, 2019. Kim huddled with Putin in their first summit Thursday, as the North Korean leader sought diplomatic support to help him find a way out of his stalemate in nuclear talks with Donald Trump. Photographer: Andrey Rudakov/Bloomberg via Getty Images (Andrey Rudakov/Getty Images)

Kim Jong Un, North Korea's leader, left, shakes hands with Vladimir Putin, Russia's president, ahead of the summit on Russky Island near Vladivostok, Russia, on Thursday, April 25, 2019. Kim huddled with Putin in their first summit Thursday, as the North Korean leader sought diplomatic support to help him find a way out of his stalemate in nuclear talks with Donald Trump. Photographer: Andrey Rudakov/Bloomberg via Getty Images (Andrey Rudakov/Getty Images)

Nesta quarta-feira, 30, o governo americano afirmou que recentes informações de inteligência confirmam que o presidente russo Vladimir Putin e o líder norte-coreano Kim Jong Un trocaram correspondências enquanto a Rússia procura ajuda da Coreia do Norte para obter munições para a guerra na Ucrânia.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, detalhou a última descoberta apenas algumas semanas depois que a Casa Branca disse que havia determinado que o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, durante uma recente visita a Pyongyang, pediu às autoridades norte-coreanas que aumentassem a venda de munições a Moscou para a guerra na Ucrânia.

Busca por reforço militar

Kirby disse que a Rússia está buscando mais projéteis de artilharia e outros materiais básicos para reforçar sua base industrial de defesa.

Ele acrescentou que as cartas estavam "mais no nível superficial", mas que as negociações entre a Rússia e a Coreia do Norte sobre a venda de armas estavam avançando. Os líderes trocaram as cartas após a visita de Shoigu, disse o porta-voz americano.

"Após a visita de Shoigu, outro grupo de autoridades russas viajou para Pyongyang para dar continuidade às discussões sobre possíveis negócios de armas entre a RPDC e a Rússia", disse Kirby, usando o acrônimo para a República Popular Democrática da Coreia.

Kirby se recusou a detalhar como as autoridades norte-americanas obtiveram a inteligência.

Pouco antes de a Casa Branca revelar as novas informações sobre as negociações de armas entre a Coreia do Norte e a Rússia, a Coreia do Norte lançou um míssil balístico em direção às suas águas orientais, de acordo com os militares da Coreia do Sul.

O teste do míssil ocorreu poucas horas depois que os EUA enviaram pelo menos um bombardeiro de longo alcance para a Península Coreana em uma demonstração de força contra o Norte.

O governo Biden argumentou repetidamente que o Kremlin se tornou dependente da Coreia do Norte, bem como do Irã, para obter as armas de que precisa para combater sua guerra contra a Ucrânia. A Coreia do Norte e o Irã estão amplamente isolados no cenário internacional por seus programas nucleares e registros de direitos humanos.

Em março, a Casa Branca disse que havia reunido informações de inteligência que mostravam que a Rússia estava tentando intermediar um acordo de alimentos por armas com a Coreia do Norte, no qual Moscou forneceria ao Norte os alimentos e outros produtos necessários em troca de munições de Pyongyang.

No final do ano passado, a Casa Branca disse que havia determinado que o Grupo Wagner, organização paramilitar privada russa, havia recebido um carregamento de armas da Coreia do Norte para ajudar a reforçar suas forças que lutam na Ucrânia em nome da Rússia.

Tanto a Coreia do Norte quanto a Rússia negaram anteriormente as alegações dos EUA sobre as armas. A Coreia do Norte, no entanto, ficou do lado da Rússia na guerra na Ucrânia, insistindo que a "política hegemônica" do Ocidente liderado pelos EUA forçou Moscou a tomar medidas militares para proteger seus interesses de segurança.

Nas Nações Unidas, na quarta-feira, os Estados Unidos, o Reino Unido, a Coreia do Sul e o Japão pediram que a Coreia do Norte interrompesse as negociações de armas com a Rússia.

Qualquer negócio de armas entre a Rússia e a Coreia do Norte violaria as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, apoiadas pela Rússia, que proíbem todos os países de comprar ou obter armas do Norte, disseram os quatro países em uma declaração conjunta.

"Isso envia a mensagem errada para os aspirantes a proliferadores de que, se você vender armas à Rússia, a Rússia permitirá até mesmo a sua busca por armas nucleares", de acordo com a declaração que foi lida pela embaixadora dos EUA nas Nações Unidas Linda Thomas-Greenfield, que foi ladeada por diplomatas dos outros três países.

O presidente Donald Trump trocou cartas com Kim durante seu governo em uma tentativa sem sucesso de incentivar o líder norte-coreano a abandonar seu programa de armas nucleares.

Fique por dentro das últimas notícias no Telegram da Exame. Inscreva-se gratuitamente

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Juízes e políticos do Equador são detidos por supostos vínculos com narcotráfico
Mundo

Juízes e políticos do Equador são detidos por supostos vínculos com narcotráfico

Há 6 horas

Rússia denuncia 'participação direta' do Ocidente na guerra da Ucrânia após vazamento de conversa
Mundo

Rússia denuncia 'participação direta' do Ocidente na guerra da Ucrânia após vazamento de conversa

Há 7 horas

Arábia Saudita e Rússia prorrogam cortes na produção de petróleo
seloMercados

Arábia Saudita e Rússia prorrogam cortes na produção de petróleo

Há um dia

Enquanto China e Rússia falam em negociações, ataque deixa dez mortos na Ucrânia
Mundo

Enquanto China e Rússia falam em negociações, ataque deixa dez mortos na Ucrânia

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais