• AALR3 R$ 20,26 -0.20
  • AAPL34 R$ 67,99 0.94
  • ABCB4 R$ 16,63 -0.12
  • ABEV3 R$ 14,07 -0.42
  • AERI3 R$ 3,58 -0.83
  • AESB3 R$ 10,78 1.51
  • AGRO3 R$ 31,06 -0.16
  • ALPA4 R$ 21,36 2.54
  • ALSO3 R$ 19,07 0.32
  • ALUP11 R$ 27,08 -0.84
  • AMAR3 R$ 2,54 5.83
  • AMBP3 R$ 31,22 3.04
  • AMER3 R$ 22,11 -3.37
  • AMZO34 R$ 66,04 3.56
  • ANIM3 R$ 5,48 2.24
  • ARZZ3 R$ 79,67 -0.16
  • ASAI3 R$ 15,76 -0.88
  • AZUL4 R$ 20,14 -2.66
  • B3SA3 R$ 11,91 -0.92
  • BBAS3 R$ 37,68 -0.32
  • AALR3 R$ 20,26 -0.20
  • AAPL34 R$ 67,99 0.94
  • ABCB4 R$ 16,63 -0.12
  • ABEV3 R$ 14,07 -0.42
  • AERI3 R$ 3,58 -0.83
  • AESB3 R$ 10,78 1.51
  • AGRO3 R$ 31,06 -0.16
  • ALPA4 R$ 21,36 2.54
  • ALSO3 R$ 19,07 0.32
  • ALUP11 R$ 27,08 -0.84
  • AMAR3 R$ 2,54 5.83
  • AMBP3 R$ 31,22 3.04
  • AMER3 R$ 22,11 -3.37
  • AMZO34 R$ 66,04 3.56
  • ANIM3 R$ 5,48 2.24
  • ARZZ3 R$ 79,67 -0.16
  • ASAI3 R$ 15,76 -0.88
  • AZUL4 R$ 20,14 -2.66
  • B3SA3 R$ 11,91 -0.92
  • BBAS3 R$ 37,68 -0.32
Abra sua conta no BTG

Peru começa a julgar impeachment de seu presidente por áudios vazados

O Peru já teve quatro presidentes investigados por corrupção na "Lava-Jato peruana", e o presidente Martín Vizcarra vinha tentando ser uma voz reformista
Vizcarra: presidente tem popularidade alta por medidas anticorrupção (Reuters/Peruvian Presidency/Handout via)
Vizcarra: presidente tem popularidade alta por medidas anticorrupção (Reuters/Peruvian Presidency/Handout via)
Por Carolina RiveiraPublicado em 18/09/2020 13:40 | Última atualização em 18/09/2020 18:39Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O Congresso do Peru começou a julgar nesta sexta-feira, 18, um pedido de impeachment do presidente Martín Vizcarra. A votação deve ser encerrada ainda hoje. Segundo levantamento do jornal El Comercio com os congressistas, a tendência é que o impeachment seja negado e Vizcarra siga no cargo.

O pedido de impeachment aconteceu após o vazamento de alguns áudios de Vizcarra na semana passada. Seu governo teria feito a contratação irregular de um cantor ao custo de algumas dezenas de milhares de dólares. E, nos áudios, o presidente aparece pedindo para que assessores mintam sobre o caso.

Até então, Vizcarra, que é de centro-direita, vinha com popularidade alta pelas medidas anticorrupção que vem tentando implementar desde que chegou ao cargo há dois anos.

“Os áudios expostos, sem dúvida, afetam essa imagem anticorrupção. O entorno do presidente já era alvo de questionamentos, como com seu ex-ministro dos Transportes”, diz Samuel Rotta, vice-diretor executivo da organização peruana Proética, capítulo da Transparência Internacional no Peru.

Quem lidera a sessão de hoje -- e os esforços para derrubar Vizcarra -- é o opositor Manuel Merino, que é presidente do Congresso e também assumiria o poder em caso de saída do presidente. Merino é de centro-direita e quase desconhecido pelos peruanos.

A sessão começou por volta das 12 horas de Brasília, com a presença de Vizcarra e de seu advogado de defesa. A maioria dos parlamentares acompanha a votação pela internet em virtude da pandemia do novo coronavírus. São necessários 87 votos, de um total de 130 cadeiras, para destituir Vizcarra.

O Peru é um dos países mais afetados pelos esquemas de corrupção da Odebrecht. O caso de Vizcarra não tem relação com a empreiteira brasileira, mas os escândalos envolvendo os presidentes anteriores marcaram profundamente o país.

Dentre os ex-presidentes recentes no Peru, quatro foram denunciados pelos escândalos relacionados à Odebrecht. Parte da oposição, dessa forma, calculou que afastar Vizcarra agora agravaria a situação do país em meio à pandemia e à insegurança institucional, e levam em conta também a popularidade do presidente. O Peru tem novas eleições já no ano que vem.

O Peru é um dos países mais afetados pelos escândalos de corrupção da Odebrecht

Vizcarra assumiu o Peru em 2018, mas não foi eleito diretamente: ele era vice na chapa de Pedro Pablo Kuczynski (2016-18), o PPK, que renunciou ao cargo e terminou sendo preso depois pela Justiça peruana.

PPK estava envolvido em escândalos de corrupção, incluindo com a Odebrecht. Ex-banqueiro, ele havia sido eleito em 2016 com a promessa de uma agenda anticorrupção e com base em sua imagem de economista liberal.

“Os problemas do áudio de Vizcarra, nesse contexto, dificilmente são comparáveis aos subornos multimilionários dos quais participaram os ex-presidentes”, diz Rotta.

O Peru, em parte em esforços liderados por Vizcarra, vem aprovando nos últimos anos reformas de financiamento de eleições e no Judiciário. Os embates com o Congresso por causa dessas reformas têm sido constantes.

Enquanto isso, em meio à pandemia, o Peru também sofre com uma das piores taxas de mortalidade por coronavírus do mundo. Especialistas do país afirmam que o caso se deve ao sistema de saúde ruim e com pouco investimento.

(Com AFP)

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.