Mundo

Navio de cruzeiro é colocado em quarentena na Califórnia por coronavírus

Há suspeitas de infecção em 11 passageiros e 10 membros da tripulação, que vão passar por exames para comprovar a doença

Grand Princess: navio nos EUA é mais um exemplo de como o mercado de cruzeiros está sendo afetado pelo coronavírus (AFP/AFP)

Grand Princess: navio nos EUA é mais um exemplo de como o mercado de cruzeiros está sendo afetado pelo coronavírus (AFP/AFP)

A

AFP

Publicado em 5 de março de 2020 às 10h58.

Milhares de pessoas estavam retidas nesta quarta-feira em um navio de cruzeiro na costa da Califórnia, diante da suspeita de casos do novo coronavírus a bordo.
O navio Grand Princess seguia para o Havaí quando surgiu a suspeita, o que provocou seu retorno a São Francisco.

Um homem de 71 anos, que viajou no navio em seu cruzeiro anterior, para o México, faleceu vítima do coronavírus, no primeiro caso fatal registrado na Califórnia, informou a companhia Princess Cruises.

"Estamos retendo este navio, que tem milhares de passageiros, e realizaremos os testes", disse o governador da Califórnia, Gavin Newsom.

Há suspeitas de infecção em 11 passageiros e 10 membros da tripulação.

 

A atracação do navio foi retardada para permitir "mais tempo" para a realização de testes em "um número de passageiros e membros da tripulação que apresentaram sintomas".

Um grupo de 62 passageiros que permaneceu a bordo após a viagem para o México está isolado no navio até a realização dos exames, informou a Princess Cruises à AFP, sem precisar se algum apresenta sintomas.

"Por precaução, pedimos a estes passageiros e a outros possíveis infectados que permaneçam em seus camarotes até que sejam examinados por nossa equipe médica".

Segundo Newsom, cerca de 2.500 passageiros estavam a bordo quando o navio viajou ao México. A companhia informou 1.150 membros da tripulação.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusEstados Unidos (EUA)Navios

Mais de Mundo

J.D. Vance: candidato a vice gastou R$ 14 mil em churrascaria brasileira em 2023

Como Trump vem ganhando apoio de parte do Vale do Silício

Na China, Visa e MasterCard reduzem taxas de vendedores por pagamentos com cartões internacionais

Macron aceitará renúncia do primeiro-ministro, mas governo seguirá de forma interina

Mais na Exame