Mundo

Milei anuncia primeiro superávit trimestral da Argentina desde 2008

Desde que o assumiu o cargo, Milei promoveu uma série de mudanças ousadas para revitalizar a economia

Milei falou que está construindo "uma nova era de prosperidade" no país (Luis ROBAYO/AFP)

Milei falou que está construindo "uma nova era de prosperidade" no país (Luis ROBAYO/AFP)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 23 de abril de 2024 às 06h44.

O presidente da Argentina, Javier Milei, anunciou direto da Casa Rosada, em Buenos Aires, o primeiro superávit fiscal trimestral do país desde 2008. Em pronunciamento, Milei disse que o excedente fiscal financeiro foi de cerca de 275 bilhões de pesos em março.

Embora os desafios econômicos continuem, Milei disse que vai manter a disciplina fiscal, afirmando que o superávit marca um momento crucial na busca pela prosperidade da Argentina.

"O superávit fiscal é a pedra angular a partir da qual estamos construindo uma nova era de prosperidade na Argentina", disse Milei, segundo a Bloomberg.

De acordo com o presidente argentino, a Argentina registrou um superávit fiscal trimestral equivalente a 0,2% do produto interno bruto (PIB) no início do ano, acompanhado por um terceiro superávit mensal consecutivo em março.

De acordo com a Bloomberg, o anúncio gerou otimismo entre os investidores e os títulos argentinos tiveram um aumento de valor, impulsionando os ganhos em todos os mercados emergentes.

Milei atribuiu o raro superávit fiscal da Argentina às medidas rigorosas implementadas por sua administração, incluindo cortes pesados nas transferências de verbas para as províncias e uma grande redução nos gastos com obras públicas.

O governo também adotou medidas de corte de custos enquanto as taxas de inflação aumentavam, permitindo que a inflação anual de quase 300% corroesse os gastos públicos com salários e pensões.

Desde que assumiu o cargo em dezembro passado, Milei promoveu uma série de reformas econômicas ousadas para revitalizar a economia argentina.

Essas reformas incluem a desvalorização da moeda, a reestruturação dos ministérios do governo, a desregulamentação dos preços e a redução gradual dos subsídios à energia e ao transporte.

No momento em que a Argentina comemora seu primeiro superávit fiscal trimestral em mais de uma década, o governo de Milei enfrenta uma pressão cada vez maior para manter o ritmo e implementar reformas estruturais de longo prazo, enfrentando uma falta de articulação dentro do próprio campo governista e uma oposição firme no Congresso.

Acompanhe tudo sobre:ArgentinaJavier Milei

Mais de Mundo

Guterres reforça pedido por cessar-fogo em Gaza após morte de funcionário da ONU

Diques, esponjas, prédios flutuantes: 5 cidades pelo mundo com lições na proteção contra enchentes

Ex-advogado de Trump que diz ter pago suborno a atriz depõe em julgamento

Nova York tem um milionário a cada 24 moradores, diz estudo

Mais na Exame