Mundo

Malásia afirma que não descansará até esclarecer mistério

O primeiro-ministro malaio disse que o país não terá descanso até esclarecer o mistério do voo MH370, desaparecido há um mês

Membro de tripulação acena para piloto de avião que sairá em busca do Boeing 777: a busca, 1.850 km ao oeste de Perth, é coordenada pela Austrália (Greg Wood-AFP)

Membro de tripulação acena para piloto de avião que sairá em busca do Boeing 777: a busca, 1.850 km ao oeste de Perth, é coordenada pela Austrália (Greg Wood-AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 3 de abril de 2014 às 09h23.

Perth - O primeiro-ministro da Malásia afirmou que o país não terá descanso até esclarecer o mistério do voo MH370, desaparecido há um mês e objeto da busca internacional "mais difícil da história", segundo o governo da Austrália.

"Queremos encontrar respostas. Queremos reconfortar as famílias e não teremos descanso até que as respostas sejam encontradas", disse Najib Razak em uma visita ao centro de operações de buscas, em Perth, na costa oeste australiana.

Até o momento, apesar das centenas de objetos flutuantes detectados por imagens de satélite no sul do Oceano Índico, os navios dos oito países que participam nas operações não encontraram nenhum destroço do Boeing 777 da Malaysia Airlines.

O avião desapareceu em 8 de março com 239 pessoas a bordo. No dia 25 de março, o governo da Malásia anunciou oficialmente que o Boeing caiu no sul do Oceano Índico.

A busca, 1.850 km ao oeste de Perth, é coordenada pela Austrália.

"Mas esta é uma operação muito difícil, a mais difícil da história", declarou o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott.

"A cada dia fazemos o quebra-cabeça com pequenos elementos de informação. E a cada dia sabemos algo mais sobre o que pode ter acontecido no voo fatal", acrescentou.

O MH370, que decolou de Kuala Lumpur com destino a Pequim, desviou do plano de voo inicial e seguiu rumo ao oeste, sobrevoando a Malásia, para o estreito de Malaca. Os radares o perderam de vista no momento.

Nas próximas horas chegará à região de busca um navio da Marinha australiana, o "Ocean Shield", equipado com uma sonda de 35 quilos conectada a um cabo para captar as emissões acústicas das caixas pretas, que devem deixar de emitir o sinal dentro de poucos dias.

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-aviaoBoeing 777MalásiaMalaysia AirlinesVoo MH370

Mais de Mundo

De Niro chama Trump de 'palhaço' em frente a tribunal e pede votos para Biden; veja o vídeo

Por que os EUA ainda não colocaram humanos em Marte?

China apresenta exército de cães robôs equipados com metralhadoras; veja o vídeo

Estoque de urânio do Irã preocupa comunidade internacional

Mais na Exame