Acompanhe:

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, admitiu, neste sábado (9), em postagens no X (antigo Twitter), que pode haver diálogo com a Guiana, país com o qual disputa a região de Essequibo. Em meio à tensão, Maduro escreveu que quer “paz e compreensão”.

A manifestação de Maduro ocorreu logo após seu telefonema ao presidente Lula (PT), na manhã deste sábado. De acordo com o Planalto, Lula externou a "crescente preocupação" de países da América do Sul com a disputa entre a Venezuela e a Guiana em torno da região de Essequibo, conflito que tem aumentado a tensão entre os dois países vizinhos do Brasil.

Maduro também chamou atenção que, mesmo com a intenção do diálogo, as “autoridades da Guiana revogaram o acordo de Genebra”. Ele apontou que o país vizinho ameaça construir uma base militar para o Comando Sul dos Estados Unidos.

“Não contaram com a nossa astúcia, o Povo saiu em defesa da Guiana Essequiba. Não poderão ignorar a vontade soberana da Venezuela”, escreveu o presidente Maduro. A vontade soberana citada pelo presidente venezuelano tem relação com a votação do referendo realizado no domingo (3), que, segundo o governo, 95,9% dos eleitores aprovaram a transformação do território de Essequibo em um estado da Venezuela. A região pertence oficialmente à Guiana desde 1899, mas é reivindicada pela nação vizinha.

Segundo o governo, 10,5 milhões de eleitores participaram do referendo, que aprovou ainda a garantia de cidadania e documento de identidade aos mais de 120 mil guianenses que vivem no território.

Após o referendo, Maduro encaminhou um projeto de lei que cria o Estado da Guiana Essequibo. O parlamento venezuelano já está analisando o texto e realiza debates nacionais nos próximos dias.

Diante do momento de tensão entre Venezuela e Guiana pelo território de Essequibo, uma nota conjunta de países do Mercosul e mais quatro sul-americanos apontou uma “profunda preocupação com a elevação das tensões”.

A Guiana sinalizou que está com as forças de defesa em alerta, para possíveis tentativas de Maduro em tomar a região, que corresponde a mais de 70% do seu território.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Trump declara apoio à fertilização in vitro após Corte decidir que embriões congelados são crianças
Mundo

Trump declara apoio à fertilização in vitro após Corte decidir que embriões congelados são crianças

Há 8 horas

Greve mantém Torre Eiffel fechada na manhã de sábado
Mundo

Greve mantém Torre Eiffel fechada na manhã de sábado

Há 9 horas

Manifestações na Argentina reivindicam assistência alimentar
Mundo

Manifestações na Argentina reivindicam assistência alimentar

Há 10 horas

Autoridades russas ameaçam enterrar Navalny na prisão onde morreu, afirma oposição
Mundo

Autoridades russas ameaçam enterrar Navalny na prisão onde morreu, afirma oposição

Há 11 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais