Mundo

Líder do Greenpeace é expulso de conferência do clima da ONU

Kumi Naidoo participava de um protesto durante a cúpula quando foi mandando embora

Kaidoo (centro) participava de uma manifestação com cerca de trinta pessoas (Stephane de Sakutin/AFP)

Kaidoo (centro) participava de uma manifestação com cerca de trinta pessoas (Stephane de Sakutin/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de dezembro de 2011 às 16h22.

Durban, África do Sul - O chefe da organização ambientalista Greenpeace, o sul-africano Kumi Naidoo, foi expulso nesta sexta-feira com uma dúzia de manifestantes do centro de conferência da ONU contra as mudanças climáticas de Durban (África do Sul), constatou um jornalista da AFP.

"Policiais da ONU vão nos escoltar para fora (...) não podemos mais entrar no edifício pelo resto das negociações", explicou Naidoo a um grupo de jornalistas após ser conduzido à saída por funcionários da ONU.

Naidoo, diretor-executivo do Greenpeace que foi ativista antiapartheid nos anos 1980 na África do Sul, participava de uma manifestação com cerca de trinta pessoas. "O que está em jogo aqui é o futuro de nossos filhos e netos", disse.

"O que vemos não está à altura do que está em jogo", denunciou, ao exigir passos mais ambiciosos dos negociadores.

Ministros do Meio Ambiente e delegados de 190 países tentavam nesta sexta-feira chegar a um acordo que dê um novo impulso à luta contra as mudanças climáticas, em meio a longas e tensas negociações que se estendiam ao início da noite.

Acompanhe tudo sobre:Aquecimento globalClimaCOP17Greenpeace

Mais de Mundo

Com redução de neve no Himalaia, 25% da população global pode enfrentar escassez de água em 2024

Eleição nos EUA: Anúncio da campanha de Biden chama a atenção para status de criminoso de Trump

Empresas chinesas focam em aumentar vendas com patrocínio na Olimpíada de Paris

Vendas no varejo de bens de consumo social aumentam 3,7% na China

Mais na Exame