Mundo

Juiz libera publicação de livro de sobrinha de Trump

Mary Trump descreve o tio como "o homem mais perigoso do mundo"

Trump: irmão do presidente americano havia solicitado uma ordem de restrição contra a publicação (Andrew Harrer-Pool/Getty Images)

Trump: irmão do presidente americano havia solicitado uma ordem de restrição contra a publicação (Andrew Harrer-Pool/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 13 de julho de 2020 às 21h35.

A Suprema Corte do Estado de Nova York suspendeu uma liminar que impedia de maneira temporária a publicação de um livro de autoria de uma sobrinha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que oferece um olhar nada lisonjeiro de Trump e de sua família.

O magistrado Hal Greenwald, da suprema corte do Estado em Poughkeepsie, Nova York, negou o pedido para impedir a publicação, e cancelou uma ordem de restrição emitida no dia 30 de junho contra Mary Trump e sua editora Simon & Schuster a pedido de Robert Trump, o irmão do presidente.

Robert Trump disse anteriormente que o lançamento marcado para o dia 28 de julho de "Too Much and Never Enough: How My Family Created the World's Most Dangerous Man" ("Demais e Nunca o Bastante: Como Minha Família Criou o Homem Mais Perigoso do Mundo", em uma tradução livre) violaria um acordo de confidencialidade atrelado aos bens de seu pai, Fred Trump Sr., que morreu em 1999. Mary Trump é neta de Fred Trump.

"O tribunal acertou em rejeitar a iniciativa da família Trump em esmagar o cerne do discurso político de Mary Trump em questões importantes de interesse público", disseram os advogados de Mary Trump em nota. "A Primeira Emenda da Constituição proíbe restrições antecipadas pois elas são infrações intoleráveis do direito de participar na democracia."

Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpEstados Unidos (EUA)Livros

Mais de Mundo

Fãs de Trump se reúnem em Milwaukee para lhe dar apoio: "precisa saber que é amado"

Biden pede que país 'reduza a temperatura política' e que evite o caminho da violência

Nikki Haley é convidada de última hora como oradora para convenção republicana

FBI crê que atirador que tentou matar Trump agiu sozinho e não pertence a grupo terrorista

Mais na Exame