Mundo

Google, Microsoft e Facebook se juntam contra nova regra de vistos dos EUA

Novas regras do governo Trump barram a entrada de alunos se as respectivas instituições de ensino realizarem aulas exclusivamente online durante a pandemia

Aeroporto: há mais de 1 milhão de estudantes estrangeiros em universidades e faculdades dos EUA (Kate Munsch/Reuters)

Aeroporto: há mais de 1 milhão de estudantes estrangeiros em universidades e faculdades dos EUA (Kate Munsch/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 13 de julho de 2020 às 18h05.

Última atualização em 14 de julho de 2020 às 14h25.

Estudantes estrangeiros já foram impedidos de ingressar nos Estados Unidos devido às novas regras do governo Trump que barram a entrada de alunos no país se as respectivas instituições de ensino realizarem aulas exclusivamente online durante a pandemia de coronavírus, de acordo como um documento judicial registrado no domingo.

O documento assinado por dezenas de universidades e faculdades foi apresentado em apoio a uma ação civil da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) que tenta derrubar as novas regras de imigração emitidas no dia 6 de julho, que pegaram instituições acadêmicas de todo o país de surpresa.

O texto afirma que as autoridades imigratórias "já estão impedindo que estudantes em retorno reentrem no país" e citou o caso de um aluno da Universidade DePaul que voltava da Coreia do Sul e foi barrado no Aeroporto Internacional de San Francisco.

A Universidade DePaul não quis liberar o aluno para conceder entrevista. Um porta-voz da Agência de Proteção da Alfândega e da Fronteira dos EUA não comentou sobre os estudantes cujo ingresso está sendo negado em respeito às novas regras.

O comunicado foi somente um de uma série de documentos apresentados por várias associações comerciais, sindicatos trabalhistas e empresas de tecnologia, como Google, Microsoft, Facebook e Twitter, para apoiar a ação civil. Estes foram seguidos por mais de duas dúzias de cidades grandes e pequenas e condados que repudiaram a regra do governo Trump.

Há mais de 1 milhão de estudantes estrangeiros em universidades e faculdades dos EUA, e muitas escolas dependem da renda destes, que muitas vezes pagam mensalidades integrais.

Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpEnsino superiorEstados Unidos (EUA)FacebookGoogleHarvardImigraçãoMicrosoftMIT

Mais de Mundo

Para aumentar inovação, Xangai emite regulamento para gestão de projetos de tecnologias disruptivas

Aprovação de Lei de Bases marca nova fase de Milei, diz analista argentino

Irã está expandindo suas capacidades nucleares, diz agência de energia atômica da ONU

Inflação na Argentina cai pela metade e atinge 4,2% em maio

Mais na Exame