Acompanhe:

França defende cooperação com América Latina independentemente de acordo UE-Mercosul

A França reiterou em janeiro que se opõe à assinatura do acordo, para acalmar os protestos de agricultores franceses que o rejeitam

Modo escuro

Continua após a publicidade
Diana Mondino declarou que não sabe se será possível “buscar algo ótimo, que deixe todas as partes felizes”, referindo-se ao acordo UE-Mercosul (mtcurado/Getty Images)

Diana Mondino declarou que não sabe se será possível “buscar algo ótimo, que deixe todas as partes felizes”, referindo-se ao acordo UE-Mercosul (mtcurado/Getty Images)

O chanceler da França se reuniu em Buenos Aires com o presidente argentino, Javier Milei, e defendeu a possibilidade de “um diálogo construtivo” e “cooperação” com a América Latina independentemente de um acordo comercial entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, ao qual Paris se opõe.

Em sua primeira viagem à América Latina, o ministro Stéphane Séjourné foi recebido por Milei e pela chefe da diplomacia argentina, Diana Mondino, por cerca de uma hora, segundo uma fonte diplomática. Durante a reunião, foram abordados temas como a Ucrânia e o acordo em negociação entre a UE e o Mercosul, com o ministro insistindo em que a ausência de um tratado comercial "não feche as portas para outras coisas" em termos de intercâmbio e cooperação.

“A França se opõe à assinatura do acordo tal como ele está, porque já não responde às exigências do nosso tempo", explicou Séjourné, após um novo encontro com Diana. “As expectativas dos nossos concidadãos em matéria climática, ambiental e de saúde são legítimas e justas, e temos que trabalhar para cumpri-las e estar no nível das ambições que estabelecemos com os países do Mercosul”, acrescentou.

Oposição

A França reiterou em janeiro que se opõe à assinatura do acordo, para acalmar os protestos de agricultores franceses que o rejeitam.

Independentemente do acordo, "nossa cooperação com os países do Mercosul também é política, porque compartilham um DNA comum com a UE, que é a democracia, e estão ancorados de forma sólida e duradoura ao lado das democracias liberais”, insistiu Séjourné. "Encontraremos outros elementos de discussão, temos um trabalho bilateral tanto em cooperação quanto em investimentos”, ressaltou, acrescentando que acredita em “um diálogo construtivo fora desse acordo”.

Diana Mondino declarou que não sabe se será possível “buscar algo ótimo, que deixe todas as partes felizes”, referindo-se ao acordo UE-Mercosul. “Talvez, no fim, tenhamos que dividi-lo em várias partes pequenas."

Stéphane Séjourné, que morou na Argentina durante a juventude, irá se reunir amanhã com ministros argentinos e estará no Brasil na próxima quarta e quinta-feira, onde participará com colegas da reunião do G20 no Rio de Janeiro.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
União Europeia proíbe registro de marca "Pablo Escobar" no bloco
Mundo

União Europeia proíbe registro de marca "Pablo Escobar" no bloco

Há 3 horas

CPI anual da zona do euro desacelera a 2,4% em março
Economia

CPI anual da zona do euro desacelera a 2,4% em março

Há 4 horas

Boric protesta junto à Argentina após acusação de presença do Hezbollah no Chile
Mundo

Boric protesta junto à Argentina após acusação de presença do Hezbollah no Chile

Há 6 horas

Dia do Malbec: os dois melhores rótulos do mundo que você precisa provar
Casual

Dia do Malbec: os dois melhores rótulos do mundo que você precisa provar

Há 7 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais