Mundo

Festival de carne de cães e gatos na China revolta ativistas

Apesar de ser permitido por lei naquele país, festival anual provoca revolta nas redes sociais

Cão em gaiola na China (Reprodução Youtube/ DuoDuo)

Cão em gaiola na China (Reprodução Youtube/ DuoDuo)

Vanessa Barbosa

Vanessa Barbosa

Publicado em 9 de junho de 2015 às 19h34.

São Paulo - Todos os anos, durante o mês de Junho, milhares de cães e gatos são mortos, cozidos e comidos na cidade de Yulin, na província de Guangxi, ao sul da China.

Os animais abatidos são o menu principal do festival anual de carne de cães e gatos da cidade.

Todos os anos, ativistas da China e de várias partes do mundo protestam contra a prática, que é considerada legal naquele país.

Neste ano, centenas de tuítes têm sido postados usando a hashtag # StopYulin2015. 

Eles dizem que o comércio de carne de cão é ilegal, não regulamentado e cruel. Muitos afirmam que os animais abatidos são bichos de estimação roubados ou animais 'vadios' e doentes. 

Uma das vozes mais fortes é a do grupo americano de defesa dos animais Duo Duo. A entidade lançou uma petição no site Change.org (que já recebeu mais de 215 mil assinaturas) pedindo o cancelamento do evento, além de uma campanha em vídeo no You Tube.

No vídeo, cães e gatos são mantidos em gaiolas apertadas sem quase nenhum espaço para respirar. 

Veja abaixo a campanha. AVISO: as imagens são fortes.

yt thumbnail

 Nas redes sociais, centenas de pessoas condenam a realização do festival, que acontece no próximo dia 21. Veja alguns dos tuítes:

Acompanhe tudo sobre:AnimaisÁsiaCachorrosChinaGatosIndústriaMeio ambiente

Mais de Mundo

Chanceler israelense ameaça Hezbollah libanês com 'guerra total'

Alemanha alerta risco de ataques terroristas semelhantes ao de Moscou

Sob críticas da Otan, Putin desembarca na Coreia do Norte para estreitar parceria 'estratégica'

Milei perde apoio em 18 de 24 municípios da Grande Buenos Aires, mostra pesquisa

Mais na Exame