Mundo

Exército inicia substituição das tropas brasileiras no Haiti

Chegaram 130 militares à capital Porto Príncipe nesta segunda-feira vindos do Rio


	Fuzileiro naval em missão no Haiti: o Brasil, em sua condição de responsável militar da missão, é o país com um maior número de soldados na Minustah
 (Divulgação/ Marinha)

Fuzileiro naval em missão no Haiti: o Brasil, em sua condição de responsável militar da missão, é o país com um maior número de soldados na Minustah (Divulgação/ Marinha)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de novembro de 2012 às 13h31.

Rio de Janeiro - O processo de substituição das tropas brasileiras na Missão de Estabilização da ONU no Haiti (Minustah) foi iniciado nesta segunda-feira com a chegada de 130 militares, de um total de 652, à capital Porto Príncipe.

Segundo um comunicado emitido pela Força Aérea Brasileira, os 130 soldados foram transportados em um avião KC 137, que partiu da Base Aérea do Rio de Janeiro na tarde de ontem.

O Brasil, em sua condição de responsável militar da missão, é o país com um maior número de soldados na Minustah, todos sob comando do general Fernando Rodrigues Goulart.

Até o dia 3 de dezembro serão efetuadas outras nove operações de substituição de tropa no Haiti. Nesta data, os 652 novos militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica brasileira já deverão estar operando em solo haitiano.

Na última semana, a Marinha do Brasil já tinha enviado um navio de desembarque de veículos de combate para dar respaldo às tropas brasileiras da Minustah, o qual levava desde ambulâncias até blindados.

No último mês, o Conselho de Segurança da ONU renovou por mais um ano o mandato de sua missão no Haiti, que se estenderá até o dia 15 de outubro de 2013, mas com uma nova redução de militares, de 7.340 a 6.270 efetivos.

A Minustah foi estabelecida pelo Conselho de Segurança em 2004 depois que o então presidente, Jean-Bertrand Aristide, acabou buscando exílio político, em um período posterior ao conflito armado que se estendeu por várias cidades do país. 

Acompanhe tudo sobre:ExércitoHaitiONU

Mais de Mundo

Para aumentar inovação, Xangai emite regulamento para gestão de projetos de tecnologias disruptivas

Aprovação de Lei de Bases marca nova fase de Milei, diz analista argentino

Irã está expandindo suas capacidades nucleares, diz agência de energia atômica da ONU

Inflação na Argentina cai pela metade e atinge 4,2% em maio

Mais na Exame