Mundo

EUA: tempestades causaram perdas de US$ 76 bilhões em 2023 na América do Norte e Europa

As tempestades convectivas severas destruíram ativos estimados em US$ 66 bilhões só na América do Norte, de acordo com análise da companhia de resseguro Munich Re

É provável que o gelo cause cortes de energia e queda de árvores, advertiu o NWS (Lokman Vural Elibol/Anadolu/Getty Images)

É provável que o gelo cause cortes de energia e queda de árvores, advertiu o NWS (Lokman Vural Elibol/Anadolu/Getty Images)

Publicado em 10 de janeiro de 2024 às 15h41.

Tempestades causaram perdas de US$ 76 bilhões em ativos na América do Norte e na Europa em 2023. O montante é um recorde para eventos climáticos desse tipo, que nos últimos anos começaram a rivalizar com furacões em termos dos danos provocados.

As tempestades convectivas severas destruíram ativos estimados em US$ 66 bilhões só na América do Norte, de acordo com análise da companhia de resseguro Munich Re. Desse valor, cerca de US$ 50 bilhões era segurado.

Embora as seguradoras classifiquem essas tempestades como "riscos secundários", atrás de perigos primários como furacões e terremotos, o seu volume em 2023 levou a perdas cumulativas que superaram os danos causadas por uma temporada de furacões.

Danos causados pela neve

É provável que o gelo cause cortes de energia e queda de árvores, advertiu o NWS. "Foi emitido um alerta de tempestade de inverno de sábado de manhã até sábado à noite", indicou o NWS, que prevê que até 5 centímetros de neve e chuva congelada podem se acumular nas áreas mais populosas.

Áreas do norte de Connecticut e partes de Massachusetts podem enfrentar acúmulos de neve entre 15 e 30 centímetros, além de rajadas de vento de até 65 km/h, alertou o NWS, acrescentando que as previsões ainda podem mudar.

Kathy Hochul, governadora do estado de Nova York, ordenou uma resposta de emergência em antecipação à grande perturbação climática. Em 2022, o nordeste dos Estados Unidos foi atingido pelo que as autoridades chamaram de "tempestade do século", que deixou dezenas de mortos.

Cientistas afirmam que as mudanças climáticas, causadas por atividades humanas e a queima descontrolada de combustíveis fósseis, estão tornando as tempestades de inverno mais úmidas e intensas.

(Com Estadão Conteúdo e AFP)

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Desastres naturaisChuvasNeve

Mais de Mundo

Duas pessoas morrem e dezenas ficam feridas após desabamento em ilha na Espanha

Qual seria o impacto do programa econômico de Donald Trump nos EUA?

Brasil não tem nenhuma cidade no ranking das melhores do mundo; veja lista

Em Pequim, Amorim assina proposta com a China sobre guerra na Ucrânia

Mais na Exame