EUA tem mais de 100 mil casos de covid por dia

Número de casos é 25% maior do que na semana passada
 (Al Seib / Los Angeles Times/Getty Images)
(Al Seib / Los Angeles Times/Getty Images)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 18/05/2022 13:00 | Última atualização em 18/05/2022 13:29Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Casa Branca informou nesta quarta-feira, 18, em coletiva à imprensa, que estão sendo registrados mais de 100 mil casos de covid-19 por dia nos Estados Unidos.

Coordenador da força-tarefa de Washington, Ashish Jha afirmou que são "muitos casos" no país e que "claramente" há uma subcontagem, uma vez que o teste caseiro vem sendo amplamente utilizado entre os americanos.

XG: Butantan identifica nova variante recombinante em São Paulo

Diretora dos Centros de vControle e Prevenção de Doenças (CDC), Rochelle Wolensky disse que o número de casos é 25% maior do que na semana passada e três vezes mais do que no mês anterior.

Dada a vacinação, porém, o número de mortes é relativamente baixo, disse.

Opas

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) destacou nesta quarta-feira o avanço dos registros de covid-19 nas Américas nas últimas semanas.

Durante entrevista coletiva, a entidade informou que a região teve mais de 918 mil casos de covid-19 na última semana, um avanço de 27,2% ante a semana anterior. Além disso, foram registradas mais de 3.500 mortes, na semana mais recente. A alta nos casos da América do Norte é puxada pelos Estados Unidos, segundo a entidade.

A diretora da Opas, Carissa Etienne, disse que os novos casos e mortes pela doença nas Américas têm mostrado alta forte nas últimas quatro semanas. Na semana mais recente, as hospitalizações pelo vírus aumentaram em 18 países e as entradas em UTIs avançaram em 13 países e territórios.

Etienne aponta o fato de que muitas pessoas seguem em risco, sem a proteção das vacinas. Apenas 14 dos 51 países e territórios da região atingiram a meta da OMS de vacinar 70% da população, lembrou.

Ao mesmo tempo, ela advertiu para o fato de que muitas pessoas têm abandonado o uso de máscaras, no quadro atual. Ela defendeu esse uso e citou também a importância de reverter a tendência recente de quedas nos testes. A infraestrutura para a realização dos testes deve ser mantida e reforçada, apontou.

"A covid-19 está em alta nas Américas e o vírus não irá embora em breve", ressaltou Etienne.