Mundo

EUA ataca milícias pró-Irã no Iraque, ampliando temor de expansão de guerra

Bombardeio ocorre em meio à escalada de tensão no Oriente Médio, devido à guerra entre Israel e Hamas em Gaza e às agressões no Mar Vermelho diante os ataques dos rebeldes houthis

Membros do Hashed al-Shaabi do Iraque, principal unidade paramilitar pró-Irã integrada às Forças Armadas (Ahmad Al-Rubaye/Getty Images)

Membros do Hashed al-Shaabi do Iraque, principal unidade paramilitar pró-Irã integrada às Forças Armadas (Ahmad Al-Rubaye/Getty Images)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 23 de janeiro de 2024 às 19h56.

Última atualização em 23 de janeiro de 2024 às 20h47.

Os Estados Unidos realizaram bombardeiros aéreos contra instalações usadas por grupos pró-Irã no Iraque, informou o secretário de Defesa, Lloyd Austin, nesta terça-feira. A ação teria deixado ao menos duas pessoas mortas.

A ação, que teria ocorrido em resposta a ataques contra funcionários americanos no Iraque e na Síria, ocorre em meio à escalada de tensão no Oriente Médio, com a guerra entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza e as ofensivas no Mar Vermelho diante os ataques dos rebeldes houthis.

"As forças militares dos EUA realizaram ataques necessários e proporcionais em três instalações usadas pelo grupo de milícia Kata'ib Hezbollah, apoiado pelo Irã, e outros grupos afiliados ao Irã no Iraque", disse Austin em um comunicado, acrescentando: "Esses ataques de precisão são uma resposta direta a uma série de ataques escalonados contra o pessoal dos EUA e da coalizão no Iraque e na Síria por milícias patrocinadas pelo Irã".

Um oficial de segurança e um líder dos antigos combatentes do Hashd al-Shaabi, uma facção iraquiana próxima ao Irã, afirmaram à AFP que os ataques atingiram a área de Jurf al-Sakhr, a 60 quilômetros ao sul de Bagdá, e a região de al-Qaim, na fronteira com a Síria, onde matou ao menos duas pessoas.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)IêmenGuerrasIsraelHamas

Mais de Mundo

Tempestades nos EUA causam 18 mortes e deixam 200 mil pessoas sem energia

Milei irá rever Musk e se encontrar com Zuckerberg em busca de investimentos

União Europeia exige respeito à decisão da Corte Internacional sobre ofensiva israelense em Rafah

Ataque em zona humanitária em Rafah mata 45 pessoas, diz Hamas; Israel alega uso de munição precisa

Mais na Exame