Erdogan rejeita novamente acusação russa de petróleo do EI

"Ninguém tem o direito de fazer tal calúnia como sugerir que a Turquia compra petróleo do Estado Islâmico", disse Erdogan no Catar

Doha, Catar – O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, rejeitou novamente as acusações da Rússia de que ele e sua família estão lucrando com o comércio de petróleo feito com o grupo Estado Islâmico.

“Ninguém tem o direito de fazer tal calúnia como sugerir que a Turquia compra petróleo do Estado Islâmico”, disse Erdogan no Catar.

“Aqueles que fazem tais alegações caluniosas são obrigados a provar. Se eles provessem, eu não permaneceria na cadeira presidencial nem por um minuto. Mas aqueles que pedirem minha renúncia, também devem desistir de seu assento, se eles não conseguirem provar a acusação”, disse Erdogan, que já havia feito tal comentário ontem, quando o presidente da Rússia, Vladimir Putin, o acusou de comprar petróleo do Estado Islâmico.

O vice-ministro da Defesa da Rússia, Anatoly Antonov, afirmou a repórteres nesta quarta-feira que o governo russo tem evidências de que o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e sua família se beneficiam do comércio de petróleo ilegal com militantes do Estado Islâmico.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.