Acompanhe:

China ordena bloqueio anti-covid em cidade após protestos violentos em fábrica de iPhones; entenda

O país anunciou hoje um recorde de infeções diárias desde o início da pandemia

Modo escuro

Continua após a publicidade
Protestos na fábrica da Foxconn, na China: país decreta lockdown em Zhengzhou (China/Exame)

Protestos na fábrica da Foxconn, na China: país decreta lockdown em Zhengzhou (China/Exame)

A
Agência O Globo

Publicado em 24 de novembro de 2022 às, 06h54.

As autoridades de Zhengzhou, sede da maior fábrica de iPhone do mundo, ordenaram o bloqueio de vários distritos da cidade em meio a um surto de Covid-19 que provocou pânico e protestos violentos. Moradores do centro da cidade não devem deixar suas casas "a menos que seja necessário" e não podem abandonar a região se não apresentarem teste de covid negativo e obtiverem autorização das autoridades, determinou o governo local.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

As restrições da política de 'covid zero', que vão durar pelo menos cinco dias a partir da meia-noite de sexta-feira, vão afetar mais de seis milhões de pessoas, cerca de metade da população desta cidade do centro da China. O comunicado do governo exige ainda que os residentes de oito distritos se submetam a um teste diário de covid durante este período.

A ordem ocorre após a eclosão de violentos protestos no complexo industrial da empresa de tecnologia Foxconn, onde está localizada a maior produção de telefones iPhone do mundo. A fábrica impôs restrições anti-covid por conta própria por um mês para evitar a proliferação de infecções entre sua força de trabalho.

Imagens de trabalhadores fugindo da fábrica a pé surgiram no mês passado em meio a alegações de más condições de trabalho nas instalações. O governo municipal de Zhengzhou disse na quarta-feira que o surto na cidade "ainda é sério e complicado".

O gigante asiático anunciou esta quinta-feira um recorde de infeções diárias desde o início da pandemia, com 31.454 novos casos. Dessas novas infecções, 675 foram registradas em Zhengzhou, a grande maioria assintomática.

LEIA TAMBÉM:

Últimas Notícias

Ver mais
China se opõe a qualquer ação que aumente ainda mais a tensão no Oriente Médio, diz porta-voz
Mundo

China se opõe a qualquer ação que aumente ainda mais a tensão no Oriente Médio, diz porta-voz

Há 11 horas

G7 mostra preocupação com 'políticas não mercantis' da China
Mundo

G7 mostra preocupação com 'políticas não mercantis' da China

Há 13 horas

Apple retira WhatsApp e Telegram do mercado da China
Tecnologia

Apple retira WhatsApp e Telegram do mercado da China

Há 19 horas

Quase metade das cidades chinesas estão afundando, aponta pesquisa
Mundo

Quase metade das cidades chinesas estão afundando, aponta pesquisa

Há 20 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais